Eventos

Curiosidades do primeiro dia na Campus Party

Embora nenhuma atividade tenha sido programada para o primeiro dia, além do credenciamento e da abertura, os stands estavam todos funcionando, a área de alimentação e obviamente, todo mundo disposto a integrar e fazer o evento propriamente dito.

Entre uma área e outra, um stand, um café, acabamos observando pequenas coisas que valem a pena serem comentadas. Abaixo uma compilação de uma série de observações do primeiro dia (segunda).

Algumas curiosidades desse primeiro dia (e primeira noite de acampamento)

  • O link de 5.5 Gb é bacana, mas compartilhado entre alguns milhares de geeks e hard users, ele está muito mais lento que meu pobre link de 2Mb via cabo de casa;
  • Segundo a organização do evento, a versão brasileira do Campus Party conta com uma participação feminina de 22%. Comparando com as edições espanholas, na Europa a participação das meninas é de apenas 3%;
  • O evento está cheio de espanhóis, não apenas na organização. Parece que o pessoal de lá gosta mesmo dessa festa, para viajar de tão longe;
  • De tempos em tempos, alguém dá um berro no pavilhão (originalmente seria “patxi”, mas aqui o povo grita “party”) e os outros aplaudem ou berram em resposta. Ontem não houve muito engajamento, mas acredito que até o fim da semana a adesão seja maciça;
  • Testamos a conexão de 30Mb via fibra ótica da Telefonica. Assustador. Uma distro do Ubuntu baixada em cerca de 6 mins. Confira aqui;
  • Durante a apresentação de Gil, rolou um protesto bem humorado por quatro blogueiros, que exibiam seus notebooks (cartaz em papel é tão 1.0 …) no meio da platéia com a frase “PAGA MEU VISA TAMBÉM” enquanto o Ministro e o representante do governador de SP estavam falando;
  • A blogueira que vendeu o corpo para vir ao Campus Party chegou bem, diretamente do Uruguay. Aham, é a Nospheratt, blogueira pseudônima famosa na blogosfera brasileira e que continuará pseudônima para quem não vier ao evento;
  • O pessoal do blog Rastro de Carbono está presente com uma iniciativa eco-bacana. Distribuição de canetinhas recicladas e venda de sacolas feitas com sacas de arroz (um plástico que iria para o lixo). Custam 6 reais, cada. Para ajudar o meio ambiente, adquirindo uma, basta passar aqui no Campus Blog e falar com a Paula;
  • O calor que estava presente durante o dia foi embora lá pelas 2 ou 3 da manhã, hora em que tomei banho (quente e com o banheiro praticamente vazio) e fui dormir. A barraca é mesmo pequena, se eu tivesse que compartilhar com alguém, seria difí­cil respirar até. Acordei quebrado (claro);
  • Ontem os espanhóis da organização não permitiram que pagássemos a alimentação da semana, ao contrário da informação disponí­vel no site (de que seria possí­vel). A comida “por fora” é bem cara e não muito boa. Vamos ver se conseguimos flexibilizar isso hoje.
  • Ah! Eu falei que o Henrique Revolução Pereira tomou um baita tombo do SegWay? 😛

É isso. Acompanhem mais pelo Live Stream e aqui mesmo í  qualquer momento.

“Ah! Eu falei que o Henrique Revolução Pereira tomou um baita tombo do SegWay? :-P”

HUAHUAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAUHUH!!!

Será que vai aparecer o ví­deo, ou a foto desse momento hilariante? 😀