• Internet,  Segurança

    Sites e E-Commerces não recomendados

    O Procon de São Paulo mantém uma lista atualizada de lojas e sites de comércio eletrônico que não são recomendadosm (PDF). Em outros termos, grande parte da lista é por motivo de fraudes detectadas ou potencialmente danosos ao consumidor.

    É sempre importante lembrar que qualquer pessoa, dona de um site de comércio eletrônico ou qualquer outro negócio online, pode colocar em seus sites  “selos” que simulem algum tipo de “atestado de credibilidade” dado por outra instituição. Selinhos como “Site Blindado” ou “eBit Loja Ouro” não bastam para informar se um site tem ou não boa reputação. Principalmente se esses selos não estiverem fazendo um link para as instituições, de forma que essas possam atestar a veracidade dos tais selos.

    selos de segurança em e-commerce

    Um “selo” é apenas uma imagem. E da mesma forma que elas estão inseridas por mim aqui nesse texto, qualquer um pode inserir em seus layouts, dando a falsa impressão de que a loja é “segura” para compras.

    Certificado não é garantia contra fraudes

    Da mesma forma, muita gente pensa que ter um “certificado de segurança” é garantia de satisfação. Não é. Todo bandido pode ter CPF, RG, Carteira de Trabalho e Passaporte. Isso não garante que ele seja uma boa pessoa. O certificado de segurança garante apenas a segurança dos dados transacionados entre o seu computador e o site destino. Se você está enviando seu cartão de crédito para um site de fraudadores, o certificado garante que os fraudadores terão acesso ao seu cartão, sem que outros sites interceptem no meio.

    Então, fique atento e sempre que esbarrar em uma super promoção de alguma loja desconhecida, antes de mais nada, consulte a reputação dessa loja. Vá ao ReclameAqui, consulte a lista do Procon, busque pelo nome da loja no Google e veja se existem blogs e posts em redes sociais denunciando fraudes, etc.

    Não confie em imagens de cadeados ou selinhos. Eles estão à venda para quem puder comprar.