• Internet

    Cães sendo usados como iscas de tubarão?

    A história é comovente: pescadores franceses usam cachorros e gatos como iscas vivas para pescar tubarões. A foto também é bem comovente e apelativa, às vezes apresenta um cão com os lábios superiores no anzol, em outra o anzol está nas narinas do animal.

    Pesquisando sobre a história que está sendo (novamente) espalhada, dessa vez pelo Facebook, com uma petição para que esse absurdo acabe, eu descobri que a história não é totalmente mentirosa. Mas também não é toda verdade.

    cachorros usados como isca de tubarão

    Cachorros e gatos, vivos ou mortos

    Há bastante tempo, em 2005, as autoridades foram alertadas sobre a utilização de cães e gatos, vivos ou mortos, como iscas de tubarão. Isso aconteceu numa pequena ilha afastada da costa africana, território francês, chamada Réunion. A prática, considerada ilegal e totalmente proibida, era obra de alguns pescadores amadores, que se aproveitaram do fato de que cães e gatos eram considerados uma “praga” na pequena ilha (havia superpopulação desses animais), para capturá-los e utilizá-los dessa forma. A maioria dos animais era abatida antes da pesca.

    O fato foi denunciado às autoridades e divulgado pela imprensa, atingindo um nível tão grande que envolveu o governo francês, entidades protetoras dos animais internacionais e até mesmo a Família Real Britânica.

    Na ilha de Réunion, como em diversas partes do mundo, maltrato de animais é crime, e nesse caso específico, até mesmo a pesca de tubarões é ilegal e proibida, não importa o tipo de isca utilizados. Assim, esse caso, embora real, foi tratado como um caso isolado, praticado por um grupo muito pequeno de pescadores amadores, totalmente coibido e sem registros de que tenha voltado a acontecer.

    A parte mentirosa da história

    Boa parte das fotos divulgadas, principalmente as que ilustram esse texto, são montagens ou meias-verdades. A mais famosa e principal, do labrador, não é montagem. No entanto acredita-se que o cão, que se tratava de um animal de estimação e que fora encontrado com o gancho nos lábios superiores, seja vítima de um acidente com o gancho, podendo ter sido provocado por ele próprio.

    A principal justificativa é ele ter sido encontrado livre e com vida, mas também pelo fato de que um anzol preso nessa parte do corpo do animal não teria o efeito esperado para ser utilizado como isca, já que o mínimo movimento mais bruto poderia fazer a pele rasgar e o anzol se desprender. Isso também derruba a teoria de que ele teria escapado dos pescadores, pois o gancho não apresentava sinais de ter sido forçado.

    A segunda foto, do filhote com gancho do anzol no nariz, é montagem.

    Conclusões sobre a história dos cachorros usados como isca

    • A história é verdadeira, mas foi um caso isolado e criminoso, não uma prática, como as pessoas queriam fazê-lo acreditar
    • Boa parte das imagens usadas para divulgar a prática são falsas, montagens toscas ou meias-verdades
    • As autoridades já puniram e coibiram os atos de 2005 e nenhum outro caso foi registrado desde então
    • Divulgar essa história só vai causar confusões e aumentar a mentira ainda mais, por isso:
      NÃO COMPARTILHE, NÃO ACREDITE ANTES DE PESQUISAR
  • Segurança

    Em favor da VERGONHA NA CARA!!!

    Esse e-mail é um desses boatos que são criados para manipular as pessoas, tentando gerar algum burburinho em torno de um tema normalmente político. Como todos os outros – que podem ser defendendo uma causa ecológica, um partido político qualquer, uma ONG ou geralmente difamando alguém ou alguma instituição – esse contém muitas inconsistências.

    A balela me foi enviada pelo Alexandre Gaigalas e a resposta que ele deu, assim como as pesquisas que fez para verificar a veracidade do texto, foram tão boas, que resolvi simplesmente copiá-la abaixo.

    1. Não existe qualquer registro de um “Rio Piratuba”, simplesmente nunca se ouviu falar desse rio, a não ser nesse email. Aliás, Piratuba é uma cidade do estado de Santa Catarina e nome de um lago no Amapá. Provavelmente quem forjou essa historinha usou algum desses locais reais para dar tom de realidade.
    2. Pesca amadora não é proibida por local, é pela espécie do peixe e período de reprodução (piracema). Consulte a portaria 82 de 31 de Outubro de 2000 para mais informações. O pescador do email só teria problemas se pescasse mais de 5kg de peixe (o que seria considerado pesca profissional).
    3. Existem várias versões desse email, com variações nos nomes.. inclusive nessa versão que você me passou a pessoa que editou mudou o nome da primeira versão “Ailton” para “Paulo”, só que esqueceu de verificar se o nome aparecia mais de uma vez. O suposto pescador é referido como “Ailton” e “Paulo” no mesmo email. Patético.
    4. Não existe sequer uma única notícia no Estadão, Folha ou qualquer outra fonte de notícias sobre Ailton, Paulo ou Piratuba que tenha relação com um incidente similar ao relatado no email (Faça você mesmo a busca).
    5. O email contém vários erros de português, provavelmente foi escrito por um leigo.

    Para quem não sabe, a Petrobrás pagou 51 milhões de reais e bancou todos os esforços de contenção do vazamento de óleo da P36 e do Rio Iguaçu. Os danos de ambos os acidentes já foram reparados.

    A verdadeira Campanha VERGONHA NA CARA deveria ser pra incentivar o povo brasileiro a ser mais cético e não acreditar em qualquer besteira que lê. Se até mesmo um leigo que mal escreve português pode manipular o povo brasileiro com uma história tão mal feita, imagine o que a mídia está fazendo com sua cabeça nos últmos anos.

    Mensagem Original

    Isso foi exibido em todos os telejornais noturnos na quinta feira (11/03/04). Paulo, 28 anos, casado com Sônia, grávida de 4 meses, desempregado há dois meses, sem ter o que comer em casa foi ao rio Piratuaba-SP a 5km de sua casa pescar para ter uma “misturinha” com o arroz e feijão, pegou 900gr de lambari, e sem saber que era proibida a pesca, foi detido por dois dias, levou umas porradas. Um amigo pagou a fiança de R$ 280,00 para libera-lo e terá que pagar ainda uma multa ao IBAMA de R$ 724,00.

    Sua mulher Sônia grávida de 4 meses sem saber o que aconteceu com o marido que, supostamente, sumiu, ficou nervosa e passou mal, foi para o hospital e teve aborto espontâneo. Ao sair da detenção, Ailton recebeu a noticia de que sua esposa estava no hospital e perdeu seu filho, pelos míseros peixes que ficaram apodrecendo no lixo da delegacia.

    Quem poderá devolver o filho de Sônia e Ailton?

    Henri Philippe Reichstul, de origem estrangeira, Presidente da PETROBRAS. Responsável pelo derramamento de 1 milhão e 300 mil litros de óleo na Baía da Guanabara. Matando milhares de lambaris e pássaros marinhos; responsável pelo derramamento de cerca de 4 milhões de litros de óleo no Rio Iguaçu, destruindo a flora e fauna e comprometendo o abastecimento de água em várias cidades da região. Crime contra a natureza, inafiançável.

    Encontra-se em liberdade. Pode ser visto jantando nos melhores restaurantes do Rio e de Brasília.

    Esta é uma campanha em favor da VERGONHA NA CARA.

    Eu já divulguei, e Você?

    Mensagem recebida por e-mail em 8/11/2007

    * Colaborou: Alexandre Gaigalas

    [tags]Campanha,Boato,Petrobrás,Rio Piratuba,SP,Pesca,IBAMA[/tags]