• Internet,  Segurança

    Falha no site da TelexFree expõe dados de compradores

    Piramide FAILO que uma empresa tem de mais valioso é sua base de clientes e consumidores. No caso de uma empresa que trabalha com venda direta e diz trabalhar com multi-níveis, essa base é ainda mais preciosa e seus dados devem ser tratados sempre com o maior cuidado possível.

    Se tratando de uma empresa com atividades ainda duvidosas – cof cof pirâmide financeira cof cof – tais dados são extremamente sensíveis, tendo em vista que muita gente não gostaria de ter seu nome associado às atividades da empresa e pior ainda, revelados a quem quer que seja.

    Pois bem, fazendo uma busca sobre as atividades da empresa no Google – pois fiquei sabendo da recente mudança para S/A e queria checar – eu esbarrei em algumas páginas e não consegui acreditar. Não que os dados apresentados sejam extremamente relevantes ou absurdamente secretos, mas pela simplicidade que seria evitar que isso ficasse exposto. Me lembrou imediatamente que a empresa, dias atrás, teve um recurso não julgado por ausência do pagamento da taxa de R$ 40,00, evidenciando a falta de preparo para coisas simples – o que diremos sobre coisas importantes como a sustentabilidade do negócio.

  • Internet

    O usuário é a maior falha de segurança que existe

    “Olá! Sou o primeiro ví­rus português.

    Como nós portugueses não temos experiência em programação, este ví­rus trabalha baseado num sistema de CONFIANÇA. Por favor: apague todos os arquivos de seu disco rí­gido manualmente e envie essa mensagem a todos os membros de sua lista de e-mail.

    Obrigado por sua colaboração.”

    Ok, admito que essa é uma piadinha infame, mas reflete bem o que eu gostaria de dizer.

    O ano era 1992 e eu, um garoto de 14 anos, monitor de aulas práticas (uma espécie de estagiário) de um cursinho de informática bastante conhecido, na época, em Salvador. Nas minhas horas vagas eu estudava programação e as interações dos programas com o sistema operacional e a máquina em si – sim, era na época que eu não gostava de gente, só de máquina.