• Internet

    Gmail fora do ar 2, a missão

    Hoje, pela segunda vez em 6 meses, o Gmail, serviço de e-mails da gigante Google, ficou inacessí­vel para milhares de pessoas ao redor do mundo por cerca de 3 horas. Ao contrário da última pane, muita gente foi afetada, incluindo os usuários do serviço pago, o Google Apps.

    A Google tem feito muitos investimentos em seu parque de servidores e muita propaganda de sua arquitetura de “nuvem”, tentando convencer as empresas de que o modelo é confiável, fazendo com que migrem sua infra interna para a Internet. Apesar de garantir 99.9 % de uptime em seu Google Apps, é difí­cil prever que falhas como essa ocorram e possam ser ainda piores que a última. Você já imaginou um dia inteiro sem e-mail em sua empresa? Em uma terça ou quarta?

    A empresa pediu desculpas pelo problema em um post no blog e avisa em sua página de suporte que o problema já foi resolvido, mas diversas pessoas continuam reclamando de problemas no acesso pelo Twitter.

    E você? Tem backup? 😉

  • Fun

    Sexta-feira 13? Não, sexta-feira 1234567890

    1234567890

    Nerds do mundo todo comemoram hoje mais uma pegadinha numérica do Unix Timestamp, uma forma de medir o tempo utilizada em sistemas mais antigos do Unix (atualmente se usa o UTC). O Unix Timestamp considera o número de segundos entre qualquer data e uma data de referência chamada “Unix Epoch“, que é 01 de Janeiro de 1970.

    Hoje, sexta-feira dia 13 de Fevereiro de 2009, í s 23:31:30, terão se passado 1234567890 segundos da Unix Epoch, uma data – no mí­nimo – curiosa e comemorada ao redor do globo. Alguns sites dedicam-se exclusivamente í  contagem regressiva (esse aqui já faz a contagem em Unix Time também).

    O único problema com o Unix Timestamp é que ele tem um limite. Em 19 de Janeiro de 2038 a contagem estoura (por conta de uma limitação dos sistemas 32 bits), fazendo com que os sistemas legados tenham que mudar para UTC, criar um novo sistema de contagem ou migrar para 64 bits. Se bem que isso vai rolar em 20 anos, daqui até lá 64 bits já vai ser coisa de criança 😉 e provavelmente essas preocupações bobas de “bug do ano 2000”, coisa do passado.

    Será?

    Saiba mais: Sobre o Unix Timestamp, Conversor online

  • Internet,  Mobile

    O quanto de sua vida você coloca na rede?

    É muito comum, principalmente ao conhecermos uma ferramenta ou serviço novo, nos empolgarmos a enchê-lo de conteúdo, utilizá-lo bastante para aprendermos mais e sabermos como isso pode ser útil para nós. O que pode não ser tão legal é quando esse serviço é uma rede social ou uma ferramenta de lifestreaming.

    Redes Sociais são aqueles sites ou serviços que incentivam a formação de comunidades, te possibilitam procurar pessoas e se tornar seu contato (ou amigo). Alguns exemplos são os bastante conhecidos Orkut, MySpace e FaceBook. Já Lifestreamings são serviços de compartilhamento de ações e conteúdo na Internet, onde você indica vários outros serviços que utiliza (como o Twitter, Flickr, Delicious) e esse outro site agrega essas informações. O FriendFeed é um grande exemplo disso.

    Inicialmente muito legal e divertido, a utilização descontrolada de serviços como esses podem se tornar uma dor de cabeça futura. Compartilhar sua vida com o mundo não é o mesmo que contar algo que te aconteceu pelo telefone com um amigo no qual confia. É bastante diferente imaginar que aquela sua foto fantasiado (ou “soltando a franga”) no carnaval será vista por seus amigos da escola e seus colegas de trabalho (ou seu chefe!). Bom senso é sempre necessário e a utilização correta das ferramentas de privacidade são bem vindas.

  • Internet

    Sua senha diz muito sobre você

    Segurança total, by Nighto

    Senha de banco, senha de e-mail, código da catraca eletrônica, letras complementares da senha do banco, senha de Internet Banking, repeteco de todas as outras senhas da esposa (ou do marido) … Com tantas senhas para decorar, a maioria dos usuários de Internet costuma facilitar na hora de criar sua palavra-chave e acaba utilizando a mesma em praticamente todos os serviços que utiliza.

  • Internet

    O usuário é a maior falha de segurança que existe

    “Olá! Sou o primeiro ví­rus português.

    Como nós portugueses não temos experiência em programação, este ví­rus trabalha baseado num sistema de CONFIANÇA. Por favor: apague todos os arquivos de seu disco rí­gido manualmente e envie essa mensagem a todos os membros de sua lista de e-mail.

    Obrigado por sua colaboração.”

    Ok, admito que essa é uma piadinha infame, mas reflete bem o que eu gostaria de dizer.

    O ano era 1992 e eu, um garoto de 14 anos, monitor de aulas práticas (uma espécie de estagiário) de um cursinho de informática bastante conhecido, na época, em Salvador. Nas minhas horas vagas eu estudava programação e as interações dos programas com o sistema operacional e a máquina em si – sim, era na época que eu não gostava de gente, só de máquina.