Eventos,  Internet

Flickr prioriza blogs nas ações do Campus Party

Foto: Mr MansonO apartheid no Campus Party entre blogueiros e jornalistas é algo latente e evidente. Primeiro que os jornalistas estão localizados em um “aquário” climatizado bem no centro do pavilhão, enquanto os blogueiros estão espalhados, descentralizados como sempre (e sujeitos í s intempéries naturais). Só essa “bola fora” da organização já contribuiu para uma certa hostilidade entre as partes.

Hoje o Flickr mostrou que os privilégios não são exclusivos da dita imprensa tradicional. Além das diversas ações que vem realizando como os destaques na comunidade de fotos, o hotsite especial com links para artigos dos blogueiros no Yahoo! e brindes (contas Pro) para muitos blogs, uma ação bastante interessante foi reunir a Heather Champ, Comunity Manager do Flickr internacional, com alguns blogueiros para uma “coletiva” especial e exclusiva.

Flickr : Coletiva com blogueiros

A Heather, que conheci somente hoje (ok, quase nenhum dos bloggers sabia quem era ela mesmo), é uma pessoa super boa gente, educadí­ssima, simpática e receptiva. Nenhuma pergunta, por mais simples que pudesse parecer (ela deve ter ouvido as mesmas perguntas centenas de milhares de vezes) ficou sem resposta. Mesmo com um ou outro inglês macarrônico (o meu, inclusive), ela se esforçou em entender e responder com atenção.

A questão do direito autoral e de imagem

O assunto recorrente nas perguntas foi mesmo o plágio fotográfico e o direito de imagem. A Heather, que lida também com esses assuntos além de criar as regras de uso do serviço, falou bastante sobre as licenças utilizadas na Internet, deu sua opinião pessoal sobre Creative Commons e DMCA (que definiu como “useless crap” [lixo inútil]) e contou alguns casos em que as pessoas se apoiaram indevidamente em leis e licenças para tentar faturar uma grana em cima dos outros.

Na opinião da Heather, o copyright é uma licença quebrada, falida, que já tem sua extinção definida em pouco tempo, tendo como substituta mais bem sucedida mundialmente a Creative Commons (o bacana foi que rolou uma palestra do Ronaldo Lemos pouco antes sobre isso), por proteger de forma muito abrangente tanto o autor da obra quanto seus consignatários (aqueles que têm o direito de difundir e/ou vender determinada obra de terceiro). O interessante foi saber que o Flickr não age diretamente contra plágios, apenas orientando o autor que reclamar que sua obra tenha sido copiada indevidamente em como se proteger e processar o plagiador de uma figa. Havendo respaldo legal quanto ao plágio, o Flickr age imediatamente e vigia o plagiador para evitar novos problemas semelhantes.

Heather frisou que os usuários devem lembrar que, antes de tudo, o Flickr é uma comunidade, formada por pessoas, e que deve haver bom senso e respeito ao divulgar uma imagem de terceiros. Não somente a imagem de sua obra, mas a própria foto de alguém só deve ser publicada se o mesmo autorizar (ainda que verbalmente). Questão de respeito e consideração (e ajudar a manter os dentes na boca também).

Paixão por filme e instantâneos

Ela é apaixonada por imagem. Acredito que isso deva ser um must have para quem trabalha no Flickr. Ex-Designer, Heather fundou o Mirror Project e a JPG Magazine – uma revista colaborativa de imagens que remunera os autores das que são publicadas, após escolhidas pelo próprio site, com um tema especí­fico.

Colecionadora de câmeras fotográficas, exibiu algumas que traz consigo. Uma delas, uma Polaroid bem antiga e detonada, é sua paixão. A recente notí­cia de que a Polaroid descontinuará a produção de filmes a fez muito triste. “Com o fim da era Polaroid, perdemos algo que o digital não nos dá”, afirma Heather. Coisa de apaixonado mesmo.

Quando a perguntei sobre a preferência dos modelos de câmera, ela respondeu sem pestanejar (ou esperar a interrogação da pergunta) que são as de filme 35mm. “Mais que a Polaroid?”, pergunto. A resposta veio com uma concordância de que era uma pergunta difí­cil, após alguns segundos engasgando.

A foto do grupo, no entanto, foi feita com a câmera de seu iPhone ;-).

PS: Sim, o tí­tulo desse artigo FOI uma provocação.

Fiquei chateado por perder a entrevista com a Heater, mas ainda bem que vocês estavam lá e tem tempo de sobra pra blogar sobre isso! Realmente ela parece simpática. 1abs