Eventos

Censura: Blog não entra

noblogs sealNa contramão do que estamos – sim, nós blogueiros – presenciando na Internet, a evolução gradual dos blogs, a profissionalização dos blogueiros, uma maior responsabilidade por parte de quem escreve e a consequente aposta e credibilidade por quem os acompanha, o evento hí­pico Athina Onassis Internacional Horse Show que acontece em São Paulo entre os dias 1 e 5 de agosto, não vai credenciar blogs para a cobertura do mesmo.

Acabei de ler no Direito e Trabalho, a denúncia partiu do blog Show Jumping Brasil, especializado no assunto, que citou a declaração exposta no site Por Fora das Pistas, copiado abaixo com grifo meu:

O credenciamento de imprensa é destinado única e exclusivamente aos profissionais com comprovada atuação editorial. Não serão atendidas eventuais solicitações de blogs, de pessoas que unicamente se destinam a vender fotos e imagens a pilotos e clientes, sem nenhuma atuação editorial, de sites pessoais, de menores de idade, de membros de áreas comerciais, de publicações com sites em lançamentos futuros, veí­culos experimentais e outros a critério desta Assessoria.

PorForaDasPistas.com.br

Atenção aí­, pessoal da Sociedade Hí­pica de São Paulo, organizadores do eventos e demais responsáveis ligados ao mesmo. Um evento inédito no paí­s, caracterizado como 5 estrelas e vocês cometem essa gafe? Tomem como exemplo a cobertura dos blogs nos recentes acontecimentos. O próprio PAN não está tendo a divulgação merecida, por ter tanta restrição imposta a blogs.

Nós, profissionais que estamos lidando com nossos blogs seriamente e com responsabilidade, temos o dever de denunciar mais esse ato de censura e preconceito. Blogs são modelos viáveis de negócio, geração de conteúdo e fonte de informação dinâmica e com personalidade. Tratem-nos com respeito, por favor.

Fala Rodrigo,

Que bom que respeite as opiniões, mesmo discordando. Fico grato pela elucidação, pois no primeiro comentário não pareceu isso.

Concordo com o fato de não ser ilegal ou imoral, não questiono isso no artigo inclusive. Apenas acho discriminatório, sim, e que devemos sim defender o nosso espaço. Obviamente chorar não vai adiantar nada, mas é bom exibir esse tipo de bloqueio voluntário nos blogs, para que os leitores possam avaliar e até mesmo ponderar sobre a não cobertura de um evento por seu blog favorito e bem visto na Internet.

Conheço os textos do Noronha e devo dizer que concordo em parte com o que ele fala, principalmente sobre a questão monetária, mas devo dizer que não é só o dinheiro que torna um blog visí­vel. Credibilidade é diferente de visibilidade. Dinheiro pode trazer o segundo, mas o primeiro o que define é a qualidade dos textos, o comportamento do autor com relação ao seu blog, o investimento que o mesmo faz (prova de que acredita no seu trabalho), etc.

Posso lhe citar dois exemplos claros do que afirmo: Carlos Cardoso e Alexandre Fugita. Visibilidade e Credibilidade (um não isenta o outro, vale salientar).

Abraço

Oi Manoel!

Tenho dois blogs de nicho (embora eu considere o WinAjuda mais um site do que um blog), e sei como é isso. Mas, ainda assim, dou razão para a Onassis. Concordo que minha analogia foi fraca, mas enfim, ela está no direito dela de proibir a presença de bloggers. Ela está no direito de proibir quem quer que seja de cobrir o evento… É discriminatório? Talvez. Mas sem dúvida isso não é ilegal, ou mesmo imoral.

Em casos como esse, não acho legal essa mobilização pró-blogs, levantar essa bandeira de discriminação, nada disso. Já escrevi sobre isso, recomendo a leitura do referido artigo para que entenda meu ponto de vista. No blog do J. Noronha surgiram discussões interessantes sobre este mesmo assunto (leia os textos e, principalmente, os comentários desses dois textos).

Prefiro, ao invés de reclamar das decisões de quem tem o poder, fazer meus blogs poderosos. É um efeito-dominó: qualidade gera credibilidade, que por sua vez gera reconhecimento, que por fim lhe abre muitas portas.

Só gostaria de deixar claro que respeito (embora discorde) de manifestações como esta realizada por você. Só estou publicando esses comentários para mostrar um outro ponto de vista, a fim de enriquecer a discussão e, quiçá, chegarmos a um consenso geral (utópico, eu sei, mas vá lá… 🙂

[]’s!

Rodrigo,

Talvez eu não me tenha feito entender corretamente, pois recuso-me a acreditar que você não tenha alcançado o objetivo do post além das informações nele contidas.

A Sra. Onassis poderia até convidar só as amigas dela para o evento e ninguém iria reclamar. O que aconteceu foi uma abertura de credencial para cobertura de um evento importante na categoria onde se proibiu expressamente a candidatura de blogs. Sentiu a diferença? Avaliando pelo seu prisma, será que os jornalistas não se sentiriam desprestigiados se o evento fosse “fechado í  imprensa tradicional. só aceitamos blogs, fotologs e afins”.

Aliás, se você tivesse um blog de nicho (não um genérico), talvez tivesse interesse em cobrir eventos do seu nicho, e se sentiria prejudicado e/ou ví­tima de preconceito ao ser barrado por ser “blog” e não “site”.

Abraço

Na boa? A dona Onassis está no direito dela. Se ela não quer bloggers em seu evento, ótimo. Essa revolta é o que eu chamo de sí­ndrome do problogger coitadinho.

Imaginem o contrário: a Onassis organiza um evento idêntico a este aí­ do post, e só convida bloggers. Será que os jornalistas se sentiriam discriminados? Não.

Bom, é isso.

[]’s!

no inicio deste ano quando a motorola desenvolveu uma ação do SPFW convidadndo 12 blogs para fazer a cobertura do evento, ganhamos credencial para o espaço mas não para “assistir” os desfiles, fiquei frustadí­ssima com a viajem para SP e uma semana que meu blog caiu o movimento… í  toa… porque não vi nadaaaaaaaaa

Porque eles não entendem que eu poderia estar roubando, eu poderia estar matando, mas não, estou simplesmente BLOGANDO?

Acho que é aquele famoso “medo do novo”, estão com medo de perder espaço!

Realmente, só pode se esperar esse tipo de atitude no quinto mundo onde vivemos. Depois falam mal quando digo que só teremos credibilidade com lucros de 4 dí­gitos em larga escala.