Internet,  Negócios

2015 O futuro não parece tão distante

Certa vez, na lista blogosfera, alguém comentou que “o dia em que o Google sair do ar, pode olhar para o céu e ver a chuva de mí­sseis, pois o mundo estará acabando”. Apesar de ser uma visão um pouco exagerada, se pensarmos só um pouco, o Google hoje é muito mais parte das nossa vidas do que imaginamos. O Google é a própria Internet.

  • Sua navegação começa no Google, mesmo sem entrar no site, direto da barra instalada em seu navegador;
  • Seus e-mails e arquivos que você precisa acessar em qualquer parte estão no Gmail;
  • Seus feeds são lidos no Google Reader;
  • Seu blog começou com o Blogger, e continua lá até hoje para muito gente;
  • Sua renda em publicidade vem do AdSense e seus gastos com o AdWords;
  • Mais de 70% dos seus visitantes vêm do Google;
  • Você utiliza mais o Google Maps e Earth do que o mapa da lista telefônica de sua cidade (aliás, você nunca conseguiu sequer achar a sua casa neste);
  • Você acabou de passar os seus documentos necessários para o Google Docs & Spreadsheets;
  • Sua agenda, do escritório, dos feriados e da famí­lia estão no Google Calendar;
  • A maior parte dos seus contatos profissionais são pelo GTalk;

Agora feche os olhos por uns segundos e imagine: o Google saiu do ar! O mundo acabou? Você perdeu sua vida, todos os seus dados, clientes, tudo?

Então imagine o inverso: o Google cresceu e dominou o mundo!

Esse video aqui é maravilhosamente real. Por isso, assustador.

Fonte: Fábio Seixas

Olá pessoal, Thássius disse tudo com a frase “.. eu não centralizo todas as minhas informações cruciais nos servidores do Google.”,o mais correto é justamente ter informações em vários servidores e se possí­vel SINCRONIZADAS.. eu mesmo tenho meu endereço de email principal encaminhando as mensagens para outros 5 endereços de servidores diferentes…

Abraços…

É devido a essa problemática caso o serviço saia do ar que eu não centralizo todas as minhas informações cruciais nos servidores do Google. Meu email até está lá, mas feeds etc. estão espalhados por outros serviços.

Monopólio nunca é bom. E é isso o que o Google tem feito. Como com o Writely, Google Earth ou atualmente a DoubleClick. É perigoso uma rede dominada por uma única companhia, ainda que os serviços sejam relativamente bons.

Muito bom o ví­deo! Um dia desses diversos serviços do Google começaram a falhar e já foi um problema danado. Não sei se aconteceu com todos, mas tive problemas na Gmail, Blogger e no serviço de buscas. O pico do problema ocorreu no final de semana passado, mais especificamente no domingo, mas os problemas já tinham começado na quinta (12) com o Gmail… Agora tudo parece normal, mas fica a dúvida: O que foi que aconteceu? e mais que isso, fica a preocupação: Já estamos tão dependentes assim do Google?

Manoel, o ví­deo tem no Youtube também se quiser colocar direito no site. Até versão dublada …

A gente fica com medo, mas ter tudo isso, “di grátis”, free, na faixa, é bom demais ….

Como alguém por aí­ já disse, o Google não desenvolve nada, sai comprando tudo! Mas ainda tem um longo caminho para que ele seja onipresente, já que muitos profissionais da área de tecnologia nem sabem o que é um RSS, quanto mais o Google Reader. Eu creio que seja uma parcela mí­nima de usuários que usem todos estes recursos da internet. E ainda a maioria das pessoas da Terra não tem computador e não sabe o que é internet. Ainda estamos num mundinho muito restrito… Ah, e quem sabe o google não compre uma empresa que tenha a solução para o aquecimento global ou para a escassez da água??? afinal, sem água não haverão “usuários”, né… rs

Fiquei assustado mesmo quando o Netvibes saiu do ar para upgrade do Netvibes Universe. Me senti desligado do mundo.

O grande “grid” de informações desse ví­deo existirá, será público, descentralizado e não proprietário (assim como o HTML). Isso foi projetado por aquele sujeito no começo do ví­deo, Tim Berners-Lee. Chama-se web semântica, uma rede onde qualquer informação pode “conversar” com qualquer outra informação.

Os sinais disso já começaram. Serviços como Flickr, Digg, Netvibes, alguns do Google, alguns do Yahoo, e tantas outras grandes e pequenas startups. Elas estão timidamente se integrando, usando um mapa daqui, uma foto dalí­ e quando alguém ver que se existisse um padrão pra compartilhar esses dados sem escrever APIs a cada novo lançamento a web seria perfeita…

Esse padrão já existe em diversas linguagens: RDF (para metainformação), RDF-S (para vocabulários), OWL (para ontologias), SKOS (Tesauros), HTML (marcação de texto), XML (armazenamento e compartilhamento de dados), XSD (esquemas de dados) e tantas outras.

Nada contra mas… odeio o Google Reader, não uso o Google Docs. Até usava quando era Writely mas me nego a fazer isso toda vez que me lembro da interface sem sal.

A agenda do Google não atende minhas necessidades. Aliás, uma agenda só vai atender minhas necessidades quando inicar automaticamente com meu sistema e piscar um alerta bem chamativo, descritivo e fácil de usar a cada evento que aconteça sem precisar mandar alertas no meu e-mail. Se eu nem me lembro do evento, vou me lembrar de olhar meu e-mail pra saber do evento?

Agora sobre o video. Eu amo ele =D