Twitter supõe (errado) que conhece seus usuários

Hoje o serviço de microblogging mais utilizado do mundo deu um tiro no pé. O Twitter sofreu uma atualização e, supondo que seus usuários não gostavam de receber respostas de quem não seguem, removeram essa feature. Leia a publicação oficial no blog deles. O problema é que essa feature, há muito esperada – desde que […]

Hoje o serviço de microblogging mais utilizado do mundo deu um tiro no pé. O Twitter sofreu uma atualização e, supondo que seus usuários não gostavam de receber respostas de quem não seguem, removeram essa feature. Leia a publicação oficial no blog deles.

O problema é que essa feature, há muito esperada – desde que o tracking morreu – era bastante utilizada pelos usuários do serviço, pois permitiam que acompanhássemos quando alguém que nós não seguimos, nos citassem. Ok, dá para fazer isso usando a ferramenta de busca, mas isso não é prático.

Os usuários então, iniciaram um movimento, pedindo que as pessoas que discordam desse update reclamassem, usando o próprio Twitter e uma tag #fixreplies. Através do mecanismo de busca do Twitter, é praticamente impossí­vel acompanhar as reclamações, pois a cada atualização da busca (30 segundos) entram 30, 50, 100 novos itens.

Isso só mostra o quão perigoso e até irresponsável fazer alterações no produto baseado em suposições do que o usuário pensa ou espera do mesmo. No anúncio do blog eles dizem que observaram padrões de uso e notaram que os usuários “não querem” essa funcionalidade, mas nem precisa pensar muito para perguntar como eles chegaram a essa brilhante conclusão se: 1) o padrão de uso não muda nas duas formas, pois os replies vinham misturados na mesma funcionalidade; 2) o fato de usuários interagirem com pessoas que não seguem é um ponto que diverge totalmente dessa afirmação; e 3) as pessoas estão reclamando.

Isso me pareceu muito mais uma economia de recursos computacionais, semelhante ao que fizeram com a funcionalidade de tracking e a interação via GTalk, o que foi confirmado agora há pouco (enquanto eu escrevia esse texto) em um novo anúncio oficial. Mas, por que não disseram antes? Por que inventar uma balelazinha que foi rapidamente negada pela reação dos usuários? E mais, a única forma de fazer o Twitter escalar é removendo features?

* Ilustração por RobCockerham em CC via Flickr

Andréia Diniz disse:

Como se apaga as atualizações do twitter ?

Vai entender esse povo. Como que alguém faz uma modificação em um serviço com milhões de usuários sem a clara certeza que a maioria irá gostar dessa mudança.

Para mim foi um movimento bem amador do pessoal do Twitter…

Penso que qualquer mudança de facilidades em algum sistema deve seguir algum tipo de opção ao usuário… o Google sempre oferta essa possibilidade, como foi no caso dos ajustes do GMail entre outros.

Eu ainda não entendo quanto custava deixar a opção ativa… Se esse movimento deixou alguma coisa clara, é que os usuários querem, sim, receber estes replies. Eu não entendi como foi que chegaram í  conclusão que isso é “undesirable and confusing”, mas sem dúvida as premissas eram falhas, e como…

E o mais legal: mandei um request pra eles. Seis horas depois, ele foi fechado sem mais respostas… então tá, Twitter…

O engraçado é que ninguém que eu conheça viu alguma pesquisa de opinão

Gustavo disse:

Na verdade é um pouco diferente mas não menos grave. As pessoas continuam recebendo citações a elas mesmo que não sigam quem citou. O que anda acontecendo é que se eu te sigo e você faz uma citação a alguem que eu não sigo, eu não vejo esse texto. Só as pessoas que seguem o citado e você vão ver isso. Muito estranho e mal feito porque Geralmente se vejo alguém que eu acompanho fazendo muita citações a quem não acompanho, eu dou uma passada na página da pessoa pra ver se me interessa passar a seguir ela e com essa implementação eu nem vou saber que essa pessoa existe. Péssimo!