Tema: Internet

Você compartilha conhecimento?

Sharing - by furiousgeorge81's

Foto por furiousgeorge81’s em licença compartilhada Creative Commons

Eu costumo dizer, quando tenho oportunidade de falar sobre o assunto, que a essência da Internet pode ser traduzida com a palavra “compartilhar”. Desde quando descobri o termo – mini-flashback para 1997 mais ou menos, quando estava começando a entrar na Rede Mundial – que era utilizado meramente para designar recursos de rede disponí­veis aos outros usuários, deu o estalo e até hoje nenhum outro conceito me fez mudar de idéia. Ao meu ver, a Internet nasceu pra isso: compartilhar.

Fico muito feliz quando encontro serviços que se utilizam dessa premissa para existir. Que estimula o usuário a doar parte de seu conhecimento em prol de todos os outros. Fiquei muito feliz ao saber que, durante o Campus Party 2008, houve muito mais upload de conteúdo gerado pelos participantes para a Internet que download, apesar da larga banda de transferência utilizada. Fico feliz quando vejo um professor contar sua experiência com seus alunos, quando ele primeiro ensina a subir conteúdo para a Internet, para só depois ensinar o download. ISSO, é compartilhar. Continue lendo “Você compartilha conhecimento?”

Videolog entra em sua 3a geração

Hoje o Videolog entra em sua terceira geração. Com os dois pés direitos nos ví­deos de alta definição (HD), o site – que foi ao ar muito antes do YouTube sequer existir – aposta na Midia Social e o sentimento de comunidades para divulgar e manter o seu serviço.

A migração

Durante toda a madrugada, a equipe trabalhou duro para efetuar a migração da nova plataforma para o endereço antigo, sem perder os dados existentes, os ví­deos dos usuários, etc. A home foi substituí­da pela imagem abaixo, um rascunho do que seria um wireframe de papel, com um ví­deo do Yahoo! Live transmitindo o empenho do pessoal. Continue lendo “Videolog entra em sua 3a geração”

Vamos “bandalargar” o Brasil

Flickr: Foto de Luis LeaoO nosso ilustrí­ssimo Ministro da Cultura, artista e meu conterrâneo, Gilberto Gil, é um profundo conhecedor e inventor de noví­ssimas palavras nunca antes pronunciadas. Isso todo mundo sabe. E todo mundo sabe também que o Gil é admirador de tecnologia e apaixonado pela Internet. Pois foi com a presença deste ilustre e empolgado convidado que foi dado o pontapé inicial para o Campus Party Brasil 2008.

A citação no tí­tulo do texto foi dele, obviamente, mas não parou por aí­. Nosso Ministro fez alusão a uma Internet livre, democrática e popular, bem no estilo “banda larga para todos”, falou dos projetos sociais onde as pessoas primeiro aprendem a fazer upload e compartilhar material, produção e conhecimento, antes mesmo de aprenderem a fazer download – o que sabemos que é pura falácia, embora a questão filosófica por trás (ui) seja louvável. Continue lendo “Vamos “bandalargar” o Brasil”

StartupCamp Brazil Web – o primeiro de muitos

StartupCamp no Flickr : por que começar pequeno?

Aconteceu no último sábado em São Paulo o primeiro StartupCamp Brazil Web, no espaço Gafanhoto, que já está se consagrando como ponto de encontro de blogueiros e incentivador de projetos na blogosfera. O encontro reuniu pessoas com idéias de projetos web e possí­veis investidores, além de interessados e empresários que já estão tocando seus negócios. Continue lendo “StartupCamp Brazil Web – o primeiro de muitos”

Viciado em tecnologia – parênteses

Escrevo esse artigo em plena viagem de ônibus, interestadual, com duração de 8 horas. Só de ler essa primeira frase já lhe deu calafrios? Então você pode ser, como eu, um viciado em tecnologia.

Ao meu lado um senhor utiliza o seu notebook conectado via GPRS na Internet para conversar no MSN e acessar e-mails. Lembro que trouxe comigo o cabo USB do meu celular e tento, furiosamente, fazer com que o Windows o identifique como modem GPRS, mas para minha frustração, me falta algo que não trouxe na mala.

O Twiter Mobile não funciona direito, me deixando apenas com o gostinho da home e uma mí­sera mensagem “on the road, going home”. As paradas (sim, esse ônibus pára, e muito, durante o trajeto) só aumentam minha angústia, pois nenhum hotspot está disponí­vel ou uma simples LAN house não se vê. Minha sí­ndrome de abstinência aumenta.

Carrego um pouco a bateria do celular, que já tinha ido para as cucuias, diminuindo um pouco mais a bateria do notebook – no qual escrevo compulsivamente essas linhas que está lendo. Seria isso uma doença? Ou é perfeitamente compreensí­vel – como eu acho – que oito horas de viagem sem absolutamente coisa alguma para fazer são demais para meu espí­rito sedentário hiperativo?

Paro para um lanche (é, mais uma parada de 15 minutos atrasando meu contato com a civilização moderna). No retorno puxo conversa com o cidadão conectado e descubro qual operadora, preço, plano, etc. Por sinal, achei muito mais vantagem que o meu atual plano Virtua (que eu não posso levar nas viagens). A conversa ajudou um pouco a reduzir a angústia do tempo perdido.

Carrego mais um pouco o celular e volto para o Twitter Mobile. Entre uma queda e outra eu consigo acompanhar as discussões e enviar umas duas mensagens. Fuço o Google Mobile em busca do Gtalk e não encontro. Aproveito para tirar cerca de uma centena de fotos (dedos nervosos).

Nove horas da noite, chego em Londrina. Um calor insuportável. Não liguei o notebook, nem mesmo para deixar os e-mails baixando. Um banho frio e desço para uma moqueca baiana rolando. Chega desse ví­cio! Voltemos í  programação normal.

PS: Foram 165 fotos no trajeto, mas selecionei umas poucas e coloquei no Flickr.

[tags]Tecnologia, Internet, Twitter, Mobile, Ócio, Viagem[/tags]