Symantec lança a versão 2010 do Norton

Estive hoje na coletiva de lançamento dos pacotes Norton, da Symantec, organizada pela Edelman. Longe de ser uma coletiva tradicional, a Symantec realizou uma ambientação lúdica e educativa do mercado negro de segurança digital, o BLKMKT (Black Market). Antes de apresentar seus produtos, os convidados passaram por uma visita guiada por um pequeno labirinto, construí­do […]

Norton Antivirus e Internet Security 2010

Estive hoje na coletiva de lançamento dos pacotes Norton, da Symantec, organizada pela Edelman. Longe de ser uma coletiva tradicional, a Symantec realizou uma ambientação lúdica e educativa do mercado negro de segurança digital, o BLKMKT (Black Market).

Antes de apresentar seus produtos, os convidados passaram por uma visita guiada por um pequeno labirinto, construí­do com dois containers de metal. A primeira sala foi ambientada como um um pequeno mercado mesmo, com prateleiras e preços. Ao invés de frutas ou latas de goiabada, tí­nhamos identidades falsas, cartões de crédito, listas de e-mails para spam, softwares especí­ficos para ataques, coisas assim. Claro, nada de verdade, tudo brincadeira para deixar as informações passadas mais interessantes.

Eu pessoalmente, junto com mais uns tantos presentes, não ouvi nenhuma “novidade” nas informações do BLKMKT, mas a gente não conta, né? Pelo formato, as informações passadas e a própria experiência, eu cheguei a sugerir por e-mail que a Symantec fizesse algum programa com escolas. Além de super-educativo, tenho certeza que a molecada vai prestar atenção na “aula”.

O Norton 2010

Óbvio que a Symantec não nos chamou a todos para dar aula de segurança digital, certo? O propósito do evento, que era apresentar sua nova linha Norton 2010, veio na sequência, numa apresentação um tanto quanto demorada, mas bem proveitosa. Contamos até com a presença da pessoa responsável pelo Depto de Crimes Cibernéticos da Polí­cia federal no Brasil, Dr Carlos Eduardo Sobral, que veio direto de Brasí­lia (e chegou atrasado por conta do trânsito de hoje).

Divididos em 2 pacotes carros-chefe, o Norton Antivirus e o Norton Internet Security, a Symantec aposta em alguns pontos para aumentar sua base de clientes: performance, base de dados e preço.

1. Performance – Um Norton muito mais rápido e leve

Benchmarking - Consumo de memória

Após refazer cerca de 80% de seu software na versão 2009, a Symantec afirma ter melhorado ainda mais no principal quesito gerador de reclamações dos usuários nas versões anteriores. Acreditando nisso, encomendaram uma pesquisa com a PassMark, uma instituição independente e com credibilidade nesse mercado, para fazer a comparação entre seu produto e concorrentes [Download do Report em PDF].

Na média geral, o NIS 2010 venceu a disputa, mesmo tendo perdido em alguns pontos importantes como: velocidade de copiar e mover arquivos. Sendo esse quesito muito importante e fruto de muitas reclamações de usuários, considero uma importante conquista. Ponto positivo para a Symantec.

2. Banco de dados – Informações dos usuários e reputação

Segundo a Symantec, as bases de malwares do Norton é atualizada cerca de 200 vezes ao dia, um número impressionante para nós usuários, que por vezes atualizamos nossos próprios sistemas antivirus 1 vez por semana. Isso ajuda bastante na identificação precoce de novas ameaças, o que fez o NIS 2010 ser o primeiro também em resultados “dia zero”, quando novos virus são lançados e passam pela prova de fogo com os programas antivirus.

Além disso, a Symantec lança uma nova tecnologia de reputação de arquivos, a Quorun. O sistema funciona baseados em poderosos algoritmos que utilizam o comportamento dos antivirus da base de usuários, para alertar os próprios usuários, antes de acessar e baixar arquivos danosos. Utilizando a assinatura do arquivo, as informações de confiabilidade que o usuário fornece e o comportamento pós-execução, a Quorun atualiza uma base de dados centralizada que é imediatamente acionada, avaliando as informações e pontuando uma espécie de reputação do arquivo para o restante da base.

3. Preço – Olho no mercado emergente

Contrária í  crise mundial que abateu boa parte das empresas nos últimos meses, a Symantec abaixou o preço de seu Norton e acabou surpreendendo-se. Segundo informações do Gerente de Relações Públicas, Bruno Rossini, o NAV nunca vendeu tanto quanto está vendendo com o novo preço.

No Brasil, a assinatura anual do NAV (antivirus + antispyware) é de R$ 49,00 para 1 PC e R$ 99,00 para 3 PCs. Já o NIS (pacote completo Internet Security) sai por R$ 99,00 para 1 PC e R$ 149,00 para 3 PCs. A assinatura anual dá direito aos updates das bases, upgrade de software e suporte gratuito.

Outros papos e plataformas

Após a apresentação, pude bater um papo com Bruno Rossini, sobre várias coisas da temática segurança digital. Ele me contou que a Symantec também aposta em mobile e prepara uma expansão ano que vem nesse mercado. Além disso, existe um departamento especializado em plataforma Mac (o próprio Rossini usa um MacBook 😉 ), que já fez descobertas interessantes (em breve falo mais sobre isso).

Que software de segurança você usa? Se sente seguro com ele? Pagou ou pagaria por uma licença? Deixe seu depoimento nos comentários.

É complicado, qualquer assunto que envolva antivirus é extremamente complicado. Eu fiquei 2 anos pra encontrar um antivirus que não me desse problema, que seja eficiente prático e que funcione. Esse ano eu passei a usar vários e vários antiví­rus pra chegar em um que eu me adaptasse, finalmente cheguei: Panda Cloud Antivirus Beta. Já usei o norton aqui, mais uma versão antiga. E todas as pessoas em que conheço e já tiveram experiencias com o Norton, falam muito mal dele.. por isso criei uma repulssa pelo Norton. Espero que essa versão do Norton possa mudar esse meu pensamento.

Eu meio que traumatizei com os nortons do passado. Lentos, MUITO lentos.

O preço tá convidativo, mas estou satisfeito com meu Avira.

Hélder Almeida disse:

Possuo o Kaspersky Internet Security 2010 e até agora só me surpreendo positivamente. Rápido, completo, simples e muitos outros adjetivos. Mas algo neste post realmente me chamou a atenção, sobre o desempenho do NIS… terá mesmo uma performance tão boa?!