Sonico abre escritório no Brasil

Ao contrário do Facebook, o Sonico entra com força no Brasil a partir de agora. Inaugurando o escritório no paí­s, a rede social criada na Argentina fez uma coletiva de imprensa hoje para anunciar seus projetos para as terras tupiniquins. Já são mais de 9 milhões de usuários brasileiros, cerca de 60% deles acessando o […]

sonico_logoAo contrário do Facebook, o Sonico entra com força no Brasil a partir de agora. Inaugurando o escritório no paí­s, a rede social criada na Argentina fez uma coletiva de imprensa hoje para anunciar seus projetos para as terras tupiniquins.

Já são mais de 9 milhões de usuários brasileiros, cerca de 60% deles acessando o site pelo menos 1 vez por mês. Esse montante já representa 22% do total de usuários da rede social, maioria verde-amarela em número, tráfego e rentabilidade. Apesar de concetrar a maioria de sua atividade na América Latina, o Sonico está espalhado em dezenas de paí­ses, representando um total de 43 milhões de usuários (wow).

Para Rodrigo Teijeiro (30), no entanto, não é a quantidade que a rede social está buscando, mas a qualidade. Tanto que uma equipe de 20 pessoas, ajudada por uma série de recursos tecnológicos, faz uma moderação pró-ativa do conteúdo do Sonico. Todo conteúdo suspeito, sejam mensagens, usuários, fotos, videos, é avaliado pelos sistema e parte das vezes pela equipe de moderação. Não é permitido conteúdo que infrinja a lei, pornografia, ofensas, etc. O Sonico faz de tudo para manter um ambiente saudável e seguro para todas as idades. “Nós acreditamos que redes sociais não devem estar restritas aos maiores de idades” – disse Teijeiro – “para isso é necessário garantir que o ambiente seja propí­cio, familiar, seguro”.

Perguntei sobre ações judiciais, já que a moderação pró-ativia pressupõe responsabilidade pelo conteúdo – o que sabemos não ser necessariamente verdade, já que se trata de UGC – mas Teijeiro afirma não ter nenhum receio. “Em todo o tempo que estamos presentes no Brasil, até hoje não tivemos nenhum incidente com a Justiça Brasileira”, afirma. Ponto pra eles.

Qualidade de conteúdo, melhoria tecnológica

Contratado como Country Manager para o Brasil, Alexandre de Freitas (41), enfatiza sua principal função para os próximos 12 meses do Sonico no paí­s: buscar parcerias que viabilizem o fomento e geração de conteúdo de qualidade, criação de aplicativos para sua plataforma e melhoria e adaptação da tecnologia do Sonico para o público brasileiro.

Dentre as dezenas de aplicativos disponí­veis hoje no Sonico, através da plataforma Open Social, a maioria deles já se encontra traduzido para o português, por conta do crescimento da rede no paí­s desde final do ano passado. Seu foco, no entanto, está muito mais em games, o que foi uma surpresa para os criadores do site. Freitas diz que pretende diversificar os tí­tulos e categorias dos aplicativos, tornando seu uso mais distribuí­do entre os usuários, principalmente no que diz respeito a geração de conteúdo.

“Encaro o Sonico como um e-mail muito mais poderoso e fácil de ser utilizado”, diz Teijeiro. “As pessoas usam as redes sociais principalmente para se comunicar com conhecidos, depois conhecer gente nova e terceiro para contatos profissionais”. As ferramentas do Sonico intencionam facilitar essa comunicação.

Seguindo essas 3 formas de uso dos usuários de redes sociais, o Sonico lança em breve a divisão dos perfis. Todo mundo agora poderá ter 3 perfis diferentes: um pessoal, um profissional e um público, que será aberto. O uso de perfis diferenciados e os dados disponí­veis em cada um deles será uma decisão do usuário. Caso queira, fica apenas com o perfil pessoal.

Direcionando publicidade para pessoas reais

Quando se fala em segmentação, o ouro dos publicitários, atualmente é muito difí­cil prever a quem será exibida determinada peça publicitária. Na TV, por exemplo, pesquisas dão conta da faixa etária por horário, classe social por canal e região, gênero por programa, mas o Santo Graal da propaganda ainda não foi atingido: impactar 1 ou mais pessoas com um perfil muito distinto.

Com as redes sociais, a contextualização ganha a personalização como aliada. É possí­vel impactar um homem, de 20 a 25 anos de idade, de São Paulo, que esteja vendo conteúdo sobre automóveis, fora do horário comercial. Lindo, não? Gasta-se muito menos para gerar uma taxa de retorno muito maior. O Estado-da-Arte da publicidade (a de verdade, que quer vender o produto e não ganhar prêmios). O Sonico, segundo seu criador, pretende atingir esse ní­vel de personalização.

Mas não somente imprimir um anúncio é possí­vel em redes sociais. É mais fácil e atraente, estabelecer um relacionamento de mão-dupla com seus clientes, consumidores e prospects. Estar em uma rede social é o primeiro passo para esse tipo de comunicação. Trocar idéias, ouvir feedbacks, oferecer possibilidades, é um vasto mundo pouco explorado. Não chega a ser uma rede social exclusiva para marcas, mas fazer parte do mundo do consumidor.

E como garantir a veracidade dos perfis? Como saber que são pessoas reais? A resposta é que não há como saber. Ponto. Mas dá para garantir, com certa margem de segurança, uns poucos pontos como perfil de uso da rede, tipo de dados compartilhados, horários e frequência de acesso, relacionamentos, etc. Além disso tem a confiança. Se você dá ao usuário a segurança de compartilhar informações apenas com quem ele permite, as chances de ele digitar informações verí­dicas aumentam consideravelmente.

A meta, ou sonho, do Sonico é ser número 1 não só no Brasil, como no mundo. E embora a equipe inicial do Brasil seja modesta, apenas 8 pessoas, o plano é completar 20 nos próximos 12 meses.

Você acha que temos espaço para mais uma rede social no Brasil? Deixe aqui sua opinião.

julio c. b. disse:

como faço para exportar amigos so sonico para outra conta

Lucho disse:

Vejo mais uma ameaça para o orkut em terras brasileiras. Sucesso para o sonico.

Ótimo post Manoel.
E sucesso ao sonico em terras tupiniquins

Andre Castilho disse:

Parabéns pelo ótimo post 🙂