Social e-Commerce ou Q.I. 2.0

– Que-ri-da! Que bolsa LINDA! Onde você comprou? – Menina, você não vai acreditar! Comprei naquela Boutiq K-mellô da passarela! Você não vai a-cre-di-tar em quanto eu paguei!? Todo mundo já ouviu uma conversa dessas, seja no ônibus, na rua ou até aquela sua vizinha conversando alto no telefone sem fio enquanto você tenta abrir […]

– Que-ri-da! Que bolsa LINDA! Onde você comprou?
– Menina, você não vai acreditar! Comprei naquela Boutiq K-mellô da passarela! Você não vai a-cre-di-tar em quanto eu paguei!?

Todo mundo já ouviu uma conversa dessas, seja no ônibus, na rua ou até aquela sua vizinha conversando alto no telefone sem fio enquanto você tenta abrir a porta de sua casa. Pois a Web 2.0 está aí­ para reinventar conceitos.

Q.I. (Quem Indicou) 2.0, ou melhor chamando, Social e-Commerce

Dizem os especialistas em marketing que quando compramos um produto ou serviço e gostamos, normalmente fazemos a propaganda para umas 5 a 10 pessoas. E quando detestamos, esse número pode crescer de 2 a 4 vezes. Se ter um blog pode facilitar colocar a boca no mundo quando se é mal servido, também pode ser uma boa ferramenta de fazer a publicidade boa, gratuita ou não – a segunda opção na maioria das vezes. É o chamado Social e-Commerce.

Funciona basicamente da mesma forma que o velho boca-a-boca. Você conhece um produto qualquer, gosta e indica para alguém – no caso, os seus leitores ou visitantes. A pessoa, normalmente influenciada pelo seu “aval”, clica e compra o produto. (som de caixa registradora)! Você acaba de faturar uma grana!

Programas afiliados que remuneram por comissão de venda costumam pagar bem, pois é uma forma de estimular que o afiliado continue utilizando o seu programa e gerando mais vendas. Todo mundo sai lucrando. O Submarino, por exemplo, está pagando o dobro de comissão nos produtos eletrônicos até o dia 19/02.

Mas programas afiliados existem faz muito tempo, porque somente agora estão falando tanto nisso? Ora, por vários motivos:

  • Atualmente é muito fácil ter um site. Existem várias ferramentas gratuitas disponí­veis para download, layouts prontos e tutoriais explicando tudo;
  • Hospedagem está muito barato e algumas oferecem registro de dominio grátis;
  • Internet já não é coisa para hacker há muito tempo. A molecada de 5 anos tem aula de informática na escola e acessa a Internet;
  • Já existe a possibilidade de ganhar a vida blogando. E muitos outros…

A vantagem para a empresa que facilita táticas de social e-commerce é que as vendas normalmente se multiplicam e os produtos já saem da loja com um aval de consumidor, algo muito importante nos dias de hoje. A vantagem para o participante é ganhar um trocado indicando algo que ele faria de qualquer forma, e de graça!

Há alguns dias foi lançada uma ferramenta muito interessante chamada Boo-Box. A caixinha é simpática, não intrusiva e tem um funcionamento muito interessante. Ao clicar em uma palavra indicada, abre-se uma tela exclusiva do programa afiliado selecionado (atualmente suportados o Mercado Livre e o eBay) com produtos sugeridos, baseados em palavras-chave fornecidas pelo afiliado. Sem sair do seu site, o seu leitor pode visualizar os produtos e até mesmo concluir a compra, de uma forma bem elegante.

Gostei bastante da iniciativa do pessoal e estou testando no Tecnocracia. Gostaria de ouvir o feedback de vocês sobre a adoção do mecanismo, se interfere de alguma forma no conteúdo ou desempenho do site ao passo que eu também estarei avaliando, mas torcendo que o Boo-Box cresça e reinvente o Social e-Commerce. É o Q.I 3.0!

UPDATE: Corrigido o nome da classe utilizada no Boo, depois da caca que o editor do WordPress fez. Valeu Marco!

Rodrigo Maia disse:

Muito bom artigo, e-commerce cresce a cada dia e as empresas as vezes já faturam mais em sua loja virtual do que a loja fí­sica.

O que falta agora é as lojas dar um incentivo pro pessoal ajudar com comentários, reviews, etc.

Micox disse:

Na boa. Como usuário/leitor de sites não gosto do boobox. Motivos:

– Carregamento muito lento
– Sem possibilidade de cancelar enquanto está naquele eteeerno “carregando”
– Ao clicar no carregamento, escurece o restante da tela atrapalhando a leitura do restante do texto.

Não gosto. Se mudarem isto, talvez eu passe a gostar.

Marco disse:

boo!

Muito obrigado pelo artigo, e pela definição do nosso Social e-Commerce 😉

Mas seus links de boo-box estão errados, está com boo-box-link-style, e deveria ser só boo-box-link.

Qualquer dúvida entre em contato pelo e-mail.