Na Internet, oque dá dinheiro é SEXO

Sexo vende. Talvez você também já tenha chegado a essa conclusão já há algum tempo, não? É só fazer uma busca qualquer relacionada ao tema e verá que existem milhares, porque não arriscar dizendo milhões de sites e blogs de pornografia disponí­veis. Desses existem 3 principais categorias: Os que fornecem conteúdo gratuito e ganham dinheiro […]

Ilustração de pernas femininas com dinheiroSexo vende. Talvez você também já tenha chegado a essa conclusão já há algum tempo, não? É só fazer uma busca qualquer relacionada ao tema e verá que existem milhares, porque não arriscar dizendo milhões de sites e blogs de pornografia disponí­veis. Desses existem 3 principais categorias:

  1. Os que fornecem conteúdo gratuito e ganham dinheiro com publicidade
  2. Os que vendem o conteúdo e de quebra ainda lucram algum com publicidade
  3. As vitrines de puta garotas de programa, que liberam as fotos para os visitantes e cobram uma assinatura da profissional-do-sexo, deixando seus contatos disponí­veis, claro.

* Não vou incluir aqui aqueles sites que são redundantes e só servem para linkar uns aos outros, exibindo ou não publicidade. Esses estão na categoria SPAM.

Não duvide, sexo é um assunto que vende muito e fácil na Internet. Pornografia é oque mais circula na rede e se alguém souber fazer disso um negócio, pode ter certeza de que vai lucrar bastante (Bruna Surfistinha está aí­ para não me deixar mentir).

Mas o Tecnocracia não vai mudar de tema. Isso foi só uma breve introdução (sem trocadilhos infames) para falar do tema que, mais uma vez, circula na lista da blogosfera brasileira: blogar por dinheiro.

Existem diversos meios de ganhar dinheiro, lucrar, rentabilizar o seu blog, mas talvez a principal delas seja vinculando anúncios junto ao conteúdo do seu texto, sendo o preferido deles o programa AdSense do Google.

Acredita-se, por observação de alguns mais experientes no uso da ferramenta, que os usuários “para-quedistas” (aqueles que chegam ao seu site por acaso, através de uma busca qualquer num buscador) clicam cerca de 14 vezes mais em seus anúncios, que os leitores “fiéis”, assinantes de feeds, visitantes regulares, etc. Por conta disso, principalmente, alguns autores chegam a criar textos única e exclusivamente no intuito de atrair pára-quedistas, utilizando técnicas de SEO, palavras-chave ou falando sobre um assunto da “moda” sem agregar valor ao tema.

Essa é a principal preocupação de outra vertente, que defende o lucro como consequência. Não como um fator a ser desconsiderado, mas apenas como algo que deva ser encarado como um produto natural do seu trabalho, no caso do blog, o texto.

Quem entende um pouco de mecanismos de busca, sabe que quanto mais links um site possuir de outros sites, maiores as chances do mesmo aparecer com uma melhor colocação (mais perto da primeira página) nos sites de busca. O Google tem até um í­ndice que mede isso, chamado PageRank. Oque está rolando na lista, é justamente a discussão de que, se você não possui um conteúdo interessante, que gere leitores fiéis, assinantes de feeds, links em outros blogs, o seu site vai ter menos chances de aparecer nos melhores resultados e consequentemente terá menos visitação dos pára-quedistas. Dito isto, chegamos num impasse bem no estilo “o ovo ou a galinha”. Quem te dá mais retorno são os pára-quedistas ou os leitores fiéis?

Se a idéia é simplesmente ganhar dinheiro blogando, sem se importar com o conteúdo (ou simplesmente encarando-o como um fator secundário), o melhor então é mandar ver na pornografia.

Eu defendo o foco na qualidade dos textos. E você?

eu mesmo lucro na internet com meu blog em programa de afiliados e muito bom

Lilx disse:

Esse post com certeza atraiu mais visitantes paraquedistas que fiéis.

Simon disse:

heheheh também concordo com você. Acho que o debate sempre é fantástico, porque ele permite o clareamento e a construção de idéias. Eu, como não conhecido, me sinto a vontade em concordar, discordar, falar bem, falar mal de quem eu quero e quem eu não quero, lógico que com opiniões embasada. Não apenas pra gerar desconforto e sentimentos ruins. Sempre visando o entendimento reflexivo. E as vezes sou mal compreendido. No caso, eu logo me interessei pelo assunto, pois você sinalizou que ia entrar no assunto: Como ganhar dinheiro se utilizando do sexo (com o seu tí­tulo) e de repente, você citou uns dois ou três clichês e foi parar de novo no Blogando por dinheiro. Então eu me senti um pouco frustrado. Não completamente, porque se o que eu esperava não foi provido, pelo menos encontrei um texto bem regidigo, coeso e coerente. Mas só gostaria de dizer que sexo não dá dinheiro tão facil assim não. hehehe É um nicho bem complexo empreendimentos (sites e blogs) online.

Abraço

Manoel Netto disse:

Simon,

Esclarescendo a questão da mudança ou não de tema, talvez eu não tenha me feito entender quando fiz esse artigo. O tema principal é a motivação do ProBlogger e no primeiro parágrafo apenas fiz uma breve introdução para justificar minha afirmativa final: “quer dinheiro fácil, escreva um blog de pornografia (que vende)”.

A discussão em cima do “blogar por dinheiro” não é efetivamente o fato de se obter lucro escrevendo, afinal, jornalistas, editores, escritores todos ganham fazendo justamente isso. Porque não o “bloqueiro”? Não se trata disso.

Estamos falando de FOCO. O foco do jornalista não é a grana que ele vai ganhar, nem do WebWriter, nem do editor de um livro. Antes de tudo ele precisa ter o foco no trabalho que está desenvolvendo, senão o “objetivo” (que é diferente de foco) não será atingido: viver do que faz, ganhar dinheiro, ficar rico ou famoso ou ambos.

A frase “lucro é consequência” não dita um fim ao lucro, nem mesmo decreta o fim do lucro como objetivo ou fim. Apenas tenta fazer as pessoas verem que ele é fruto do seu trabalho, da qualidade, de sua dedicação, e vem naturalmente se você fizer seu dever de casa certinho.

Um grande abraço e seja bem vindo. Adoro comentários que discordam. Isso faz o texto mais amplo e rico.

Simon disse:

Eu achei que você se perdeu um pouco no tema. Você começou falando se sexo dá dinheiro, mas não falou mais de sexo, foi pra visitantes paraquedistas, foi pra Lucro: Tem que ser Fim ou Não, e depois foi parar no começo de novo perguntando se é melhor mandar ver na pornografia ao invés de fazer textos de qualidade.

Mas o Tecnocracia não vai mudar de tema. Isso foi só uma breve introdução (sem trocadilhos infames) para falar do tema que, mais uma vez, circula na lista da blogosfera brasileira: blogar por dinheiro.

Aqui, você sai do tema (que era o sexo e o dinheiro) e vai pro blogar por dinheiro.

Achei que o tí­tulo deveria ser mudado então, pois se o tema é blogar por dinheiro ele deveria ser o tí­tulo.

Agora, comentando o que você quis dizer, eu acho que existe a possibilidade de alguns blogueiros(bloggers, bloguistas) fazerem bons textos sobre a moda. Não? Quanto aos leitores fiéis, e os paraquedistas, eu sou contra o argumento do cardoso em falar que só os paraquedistas são bons, ou o seu de que só os fiéis são bons, eu acredito que os dois tem o seu papel dentro da internet.

Comentando o trecho do post que vc citou do Fábio Seixas:

Na Apple, lucro é conseqí¼ência, não objetivo. Os enormes lucros vêm quando você se preocupa com o cliente, quando faz dele um parceiro, um evangelista da sua marca. A Apple coloca todos os seus esforços de marketing e de design na experiência do usuário. E o usuário corresponde a isso comprando da Apple e vendendo a Apple para os outros. Os clientes pagam para a Apple e ainda fazem propaganda dela!

A pergunta que não quer se calar é: Quem disse isso? Quem falou isso para o Fábio Seixas?

Segundo a teoria microeconomica o objetivo primordial da firma é a obtenção de lucro. Quer dizer, o objetivo mor da firma é maximizar o lucro. Deriva e iguala a zero. A apple, assim como toda firma, visa (em seu objetivo primordial) maximizar o lucro.

Quanto á questão do que vem primeiro o lucro ou o trabalho, eu acredito que seja o trabalho. A questão não é ter o lucro como fim, a questão é que meios você vai usar pra ter esse fim. A grande recomendação gira em torno de não dedicar tão e somente a um projeto por causa do dinheiro. Mas isso tem raí­zes na psicologia, onde o dinheiro não é um agente motivador, ele apenas é um incentivo, mas não consegue despertar um sentimento interior e blá blá bla. Então é nesse argumento que gira o foco de que o Blogar por dinheiro seria uma atividade improdutiva. Pq não existiria teoricamente uma vontade interna no indiví­duo para produzir coisas de qualidade. Assim blogar por dinheiro seria extremamente ruim. Bem, deixa eu ir…senao vou ser co-editor aqui no Tecnocracia