Inclusão Digital vs Lixo Eletrônico vs Meio Ambiente

Sabe aquele seu mouse de R$ 10 que parou de funcionar e só move o cursor para a esquerda? Não presta mais, vai para o lixo, obviamente. Mas que lixo? Você sabe para onde esse material será encaminhado? Sabe que tipo de problemas ao meio ambiente ele pode causar se for desconsiderado nas triagens do […]

Sabe aquele seu mouse de R$ 10 que parou de funcionar e só move o cursor para a esquerda? Não presta mais, vai para o lixo, obviamente. Mas que lixo? Você sabe para onde esse material será encaminhado? Sabe que tipo de problemas ao meio ambiente ele pode causar se for desconsiderado nas triagens do lixo comum?

Um mouse pode não causar tantos problemas, mas um monitor colorido, por exemplo, pode ter cerca de 3 quilos de chumbo, metal pesado altamente contaminante. Muitos outros equipamentos são feitos de materiais poluentes e tóxicos, mas não são tratados com o cuidado devido após o seu descarte. Eu até lancei uma campanha com o tema, mas infelizmente não tive muitos adeptos.

O problema: o lixo eletrônico poluente e tóxico

Crescimento hoje em dia está intimamente ligado í  tecnologia. Quanto mais tecnologia um paí­s emprega, mais ele produz e quanto maior sua produção, maior a visibilidade no mercado internacional e crescem as exportações. Por outro lado, maior é o consumo de recursos naturais e a produção de lixo e poluição.

Infelizmente a alta produção de determinado setor não está diretamente ligada í  qualidade dos produtos – está aí­ a China para amparar minha afirmação. Com o aumento da demanda e da concorrência, os fabricantes estão baixando a qualidade da matéria-prima ou do processo de fabricação, para reduzir o preço final. Com isso, a preocupação com o lixo eletrônico só aumenta, pois sabemos que os devidos cuidados não estão sendo tomados na escolha do material e com a pouca qualidade, o tempo de vida útil dos produtos é drasticamente reduzida, tendo que ser substituí­dos em pouco tempo – gerando mais lixo.

Grande parte do material utilizado em produtos eletrônicos, além de poluente, é tóxico. Isso significa que não é somente a sujeira e o acúmulo de lixo que nos preocupa, mas as conseqí¼ências que o contato com esse material tóxico podem trazer ao meio ambiente e a nós mesmos. Doenças de pele e problemas respiratórios são os mais comuns, mas certos materiais podem causar doenças muito mais sérias, como o câncer.

Reciclagem pode ser uma saí­da

A legislação brasileira ainda não possui um controle efetivo da destinação dos resí­duos sólidos, como alguns paí­ses da Europa, mas determinados produtos já têm previsão de destino, como por exemplo, as pilhas e baterias esgotadas. A lei diz que os produtores devem assumir a responsabilidade de recolher esse material e dar destinação coerente, seja armazenagem em lixo tóxico ou reciclagem.

Existem iniciativas de pessoas, ONGs e empresas privadas numa mesma direção, que auxiliam na execução de projetos de reciclagem. Um deles é o Papa Pilhas do Banco Real, que mantém postos de coleta de pilhas e baterias esgotadas e cuida da reciclagem das mesmas.

Mas nem tudo pode ser reciclado e muitas coisas, apesar de possuí­rem processos possí­veis, não o são por conta do alto custo da tecnologia envolvida. Em casos como esses é interessante observar formas de reutilização dos equipamentos, com outras destinações, para evitar o descarte do mesmo nos lixos. O reuso pode ser para uma destinação útil para você mesmo ou outras pessoas, como no caso das ONGs que montam equipamentos mais modestos í  partir de doações de sucata eletrônica. Três ou mais computadores quebrados podem dar origem a um computador funcional dentro de um centro de inclusão social.

Curso online técnicas de reciclagem

A inclusão digital feita de forma errada torna essa tarefa mais difí­cil

O modelo que vem sendo adotado de inclusão digital no Brasil é o barateamento de computadores. Fora as quedas naturais de moedas estrangeiras, que influenciam diretamente no preço de eletro-eletrônicos, o Governo se ocupa na redução de alí­quotas de impostos para determinados tipos de máquinas, como se isso bastasse para incluir a população no mundo digital, conectado, online.

Fora o fato de que computador não é uma necessidade básica e diversos outros temas deveriam ser priorizados, baratear equipamentos acaba por sucateá-los í  médio prazo. E o que poderia ser uma ferramenta social, termina num canto encostado (pois falta dinheiro para consertar o micro) e algum tempo depois certamente no lixo. Falta educação digital, falta apoio para inserção no mercado de trabalho, sobra aumento de produção de lixo eletrônico.

Manufatura Reversa, um negócio em expansão

O processo é muito parecido com uma fábrica, mas ao contrário. Os produtos entram em “linha de desmontagem” e cada funcionário da seqí¼ência trata de fazer sua parte e ir separando os equipamentos em pedaços identificáveis e classificáveis. Em equipamentos como computadores, é possí­vel separar em materiais como plástico, vidro, borracha, metais ferrosos e não ferrosos e componentes eletrônicos.

A separação torna possí­vel a reciclagem desses materiais, o que seria muito trabalhoso e caro de se fazer sem esse pré-processo manual. Dentro desse processo, os materiais podem se tornar produtos de diversos tipos, como cabos de panela, tomadas, fios, cabides, tampas, sola de sapato, vidro de monitor, etc.

Atualmente o maior mercado para esse tipo de empresa vem do próprio fabricante, que descarta material que não foi comercializado ou danificado, evitando o passivo com o meio ambiente e podendo reutilizar a matéria prima gerada. Isso não quer dizer que não existe mercado para esse manufatura reversa informal ou popular, o problema é a falta de demanda ainda. Coisa que pode ser muito melhorada com a divulgação e educação da população para a questão do lixo tecnológico.

* Este é mais um post “inédito” do Tecnocracia. Mais sobre isso aqui.

JEFERSON ( GTHEC - MEIO AMBIENTE ) disse:

Com o passar do tempo notei o problema em minha cidade e no resto do nosso Brasil, então decidi trabalhar com isso. E agora estou montando um micro empresa voltada para responsabilidade ambiental, visando o lixo eletrônico. E pretendo contribuir perante todos, reaproveitando este tipo de material que infelizmente as pessoas jogam no lixo comum, e nas ruas. Reciclo placas de PC, placas eletrônicas, HD memória, processador monitor LCD, tv’s LCD, celular e bateria de celular.

Vinicius Souto disse:

Muito boa a matéria,me ajudou bastante pois faço engenharia de computação e isto esta totalmente interligado a sua materia e as nossas aulas de ciências ambientais ^^

REJANE AZEVEDO DIVINO disse:

Infelizmente ainda não foi votada a Lei 203/91 que encontra-se na Câmara dos Deputados, sobre o resí­duos sólidos, ou seja, o lixo eletrônico. Já estamos em 2010 e o Manifesto do Lixo eletrônico precisa de adesão para poder incluir o Art.33 que foi retirada por aqueles que deveriam se preocupar em manter, já que são eles os responsáveis pela produção em massa do lixo eletrônico.
A Lei deveria ser Federal e não estadual. O problema é geral o planeta é nosso, precisamos cuidar, preservar.

estou com 250 lampadas fluorescentes para descartar… alguem pode me ajudar?
estou em Muritiba- Ba. 75 88345773

Davi Machado disse:

Prezados Senhores (as),

Estamos aceitando todo tipo de material eletrônico, e tralhas quebradas.
Reaproveitamos alguns para repor peças e outros restauramos e doamos para a sociedade.
Alguns jovens tem aprendido muito com o nosso trabalho a montar e desmontar e restaurar computadores.,

Se você sabe de pessoas ou empresa a fim de doar entre em contato com agente.
E retiramos, estamos em São Paulo proxio a Santo Amaro.

Nosso telefone, é 11 2649-2328 ou 11 7373-7338

Falar com Sr. Davi

Gisele disse:

Todos os tipos de poluição é muito ruim para o PLANETA TERRA. Por isso que toda ajuda é possivel nós todos temos que trabalhar e ajudar o planeta a se recuperar

sarado disse:

este problema afeta a todo mundo, se nós nao lutarmos contra este consumismo desenfreado que o mundo está atualmente seremos cobertos por uma monta de lixo eletronico apenas para satisfação do ego de alguns. as empresas realmente deveriam ser responsabilizadas e que descumpri-se a lei deria de pagar uma exorbitante mulda, só assim doento no bolso eles veriam o mal que estão causando ao planeta.

lais disse:

oii pessoal gostei muito desse site me ajidou bastante na minha prova!!!

bianca disse:

eu amei isso é muinto interesante por que isso ajuda as pessoas verem como o planeta TERRA vai ficar se não tratarmos com cuidados ecologicos…♥♥♥♥♥♥♥♥

Odete disse:

Olá estou fazendo um trabalho de conclusão de custo da faculdade sobre lixo eletrônico se alguêm tiver matperial favor me enviar estou precisando muito.

ATENCIOSAMENTE oDETE

cristina disse:

adorei o trabalho ….é a mais pura arte mas todos nos sabemos que mesmo reciclando sempre fica algo pra tras e eu como sempre gosto de alertar o pessoal a respeito do lixo seja comum ou digital. Tem uma empresa no Rio Grande do Sul na cidade de são leopoldo ( regiao metropolitana de porto alegre) que recicla todo o tipo de sucata digital o mome da empresa é SARCO e o e-mail é: sarco-reciclagemdigital@hotmail.com e o site pelo que vi esta em construção ainda mas eles atendem toda a região do rs.. eles aceitam doaçoes e tambem compram :
Centrais telefônicas,
Celulares,
Placas automotivas
aparelhos eletrônicos em geral
Lâmpadas fluorescentes variadas,
Pilhas e baterias em geral
Computadores:
Cpu´s:
CIs
Monitores crt:
tubos de monitores e televisores etc…
Impressoras:
Placa mãe (Motherbooads)
Processadores:
Hd´s: (hardisk)
Fios
Cd´s
Driver´s
Teclados
Hub´s
Conectores
Relês
Transformadores:
Ventoinhas (cooler)
Fios
Cabos
Tv´s
eletrônicos industriais,
Aparelhos médicos eletrônicos
Noobrek´s

sarco disse:

tem uma empresa em são leopoldo ( regiao metropolitana de porto alegre) que recicla todo o tipo de sucata digital o mome da empresa é SARCO e o e-mail é sarco-reciclagemdigital@hotmail.com e o site pelo que vi esta em construção ainda mas eles atendem toda a região do rs..

DAVID ANTUNES disse:

Bom dia.

Estou executando um trabalho para o curso de Engenharia de Segurança do Trabalho, e gostaria que se possivel me manda-se um material falando sobre o trabalho desta empresa para reciclagem dos materiais eletronicos. (fotos etc.)

No seu agurado
Atenciosamente

Eng. David Antunes

IBAP disse:

Casa ambiental feita com paredes e telhado de plástico reciclado!
Veja no site: http://www.ibap.ind.br

Jacks disse:

realmente é preucupante a quantidade de produtos eletrônicos que são descartados como lixo eletrônicos. o pior é que as autoridades não implementam polí­ticas públicas para que a maior parte, principalmente de componentes eletrônicos fossem reutilizados para os projetos didáticos dos alunos de escolas profissionalizantes de eletrônica de cursos lí­vres é técnicos. as matérias na internet sobre o assunto lixo eletrônico se refere mais a equipamentos de informática. esquecendo que o número de eletrônicos descartados tais como: televisores, video cassete, rádios, aparelhos de cd e dvd, fontes de energia, reatores eletrônicos para lámpadas, lámpadas com circí¼itos eletrônicos, placas de eletrônicos diversas. excedem em números de quantidades muito maior do que os de lixo eletrônico de informática. justamente são esses equipamentos que poderiam ser reaproveitado os componentes eletrônicos para projetos didáticos para estudantes de eletrônica. vocês sabem quanto custa todos os projetos didáticos de um aluno de estudante de eletrônica até o final do seu curso. somente os pais dos alunos sabem quanto custa. boa parte da sociedade e os meios de comunicações estão alertando as autoridades sobre a gravidade do problema. mais os orelhudos dos polí­ticos só querem receber os impostos de. ISS, ICMS, IPI. e eles acham que não tem nada a haver com isso. só DEUS pode tocar na mente desses polí­ticos para tomar uma atitude mais rápida enquanto é tempo. FUI.

vitoria disse:

adorei a materia,gostaria de saber se o lixo eletronico que nao pede ser reaproveitado sendo triturado os residuos teria alguma serventia?

Bruna disse:

adorei a matéria,eu estou participando de um projeto sobre reciclagem de componentes eletrônico,e gostaria de saber se alguem conhece alguma empresa que recicla esse tipo de material, se possí­vel em Santa Catarina,ou então saiba ou tenha alguma lista de que componetes possam ser reciclados. Obrigada =)

Gyancarlo disse:

Muito legal a matéria, temos que nos preocupar sim com e-lixo, e a forma mais rápida é a concientização da população. Estou com um projeto em minha cidade que trata justamente deste assunto e a grande dificuldadde e o interesse das pessoas, todos acham bacana a iniciativa, mas na hora de ajudar! Seu artigo ajudou muito e esclareceu muitas dúvidas sobre o assunto.

Lane disse:

Essa materia muito boa,estou fazendo estagio vou falar sobre o lixo eletronico – mostrar para as crianças que sta tecnologia gera lixo.

Lane disse:

Essa materia muito boa,estou fazendo estagio vou falar sobre o lixo eletronico – mostrar para crianças este mundo globalizado, que gera lixo .

Andrea disse:

Adorei a matéria!
Vou usar como fonte para um artigo pro meu blog, tudo bem?
Sucesso!

Tiago Bugarin disse:

Anotem aí­, metareciclagem.org
É um grupo de grupos que recebe material “velho” e até defeituoso para reaproveitar para diversos fins.
Leiam lá, conversem na lista em busca de um esporo próximo.
Uma grande diferença dessa iniciativa é a transparência da lista pública de discussões e o fato de ter nascido de ações de cidadãos e não do governo ou de empresas.
O MetaReciclagem não é uma ONG como define as leis do paí­s mas é uma organização não-governamental no sentido original do conceito.
Só lendo, só perguntando na lista, só participando pra entender direito…

Giseli disse:

É muito louvável a iniciativa e tudo o mais, mas … cadê os lugares onde se pode deixar as tralhas? Falta divulgação…
Tenho um bocado de tralhas, mas não jogo fora, tento pensar numa maneira de reaproveitar, na minha cidade, não existe nem a idéia de reaproveitamento de componentes para pcs velhos 🙁
Realmente assustador o lixo dos hardwares, chega ao ponto de existirem montanhas disso (vi uma foto desse tipo de lixo no Japão, é estarrecedor)

Davi Machado disse:

Prezada Sra. Gisele,Bom dia

Lemos seu anuncio e temos um trabalho voltado para a inclusão digital.
Somos uma igreja, e temos um trabalho social no meio da comunidade.
Gostariamos de saber se você ainda se despoe desses materiais para doar.
Estamos aceitando, e recebendo esse tipo de material onde é usado para reaproveitar toda as peças para montar outros PCs.
Após serem restaurados, esses computadores e monitores como outros tipo de material é doado pra pessoas que não tem como cmoprar um pc.

Se guiser nos ajudar entre em contato com agente no tel: 11 2649-2328 ou 11 7373-7338 falar com Sr. Davi.

Se você estiver aqui em São Paulo nós retiramos o material.

Visite nossa pagiana http://www.icoc.org.br

Ficamos no aguardo de sua resposta.

Certo de suas providnecias

Cordialmente,
Davi Machado

Jonny disse:

Na verdade, levando em consideração que todo computador troca pelo menos 2x de mouse (estatistica sem fundo de verdade), a quantidade de plástico jogado fora é assustador.

O maior problema que eu vejo é que o Brasil não tem tecnologia para reaproveitar placas de circuito impresso, e PASMEM, vende seu lixo para outros paises utilizarem de matéria prima para novos componentes muito mais em conta!!!

(preciso achar onde eu li isso. Assim que der eu te mando)