Inclusão digital sem educação digital

Desde que comecei com blogs, tenho lido bastante coisa sobre inclusão digital, principalmente no que nós poderí­amos ajudar para que houvesse mais oportunidades. Depois que criei o Balela.INFO, um lugar onde prezo principalmente pela educação do leitor, tenho experimentado como é lidar com pessoas desinformadas (o que não é pecado) com atitudes autômatas (o que […]

inclusão digitalDesde que comecei com blogs, tenho lido bastante coisa sobre inclusão digital, principalmente no que nós poderí­amos ajudar para que houvesse mais oportunidades. Depois que criei o Balela.INFO, um lugar onde prezo principalmente pela educação do leitor, tenho experimentado como é lidar com pessoas desinformadas (o que não é pecado) com atitudes autômatas (o que é péssimo).

Para citar um exemplo claro, no artigo onde desminto o recadastro de contas do Orkut, recebi um comentário dizendo mais ou menos o seguinte:

Olá, eu gostaria de fazer o recadastro, não posso perder a minha conta. Por favor, me ajude!

Mesmo estando bem claro no artigo que se trata de uma mentira – reforçado pelo nome e slogan do site, presentes no topo – a pessoa acessou o site provavelmente vinda do Google e sequer leu o artigo, passando direto para os comentários e pedindo ajuda para recadastrar seu Orkut. Recebo algumas pérolas dessas toda semana e trato de orientar a pessoa a ler o artigo.

Mesmo sabendo que existem pessoas com essas caracterí­sticas em todas as camadas sociais, eu acredito que essa inclusão digital irresponsável seja um grande vilão na qualidade dos usuários de Internet que estamos vendo nos últimos anos. A inclusão está sendo feita apenas em números, não em qualidade. Não se qualifica o usuário, apenas possibilita-se o acesso ao computador e í  Internet.

Fiquei sabendo recentemente que uma cidadezinha do interior da Bahia da qual a minha famí­lia paterna tem origem e que faz o São João mais gostoso que já frequentei até hoje, agora tem Internet. Foi criada uma lanhouse e os habitantes estão tendo acesso a algo que não conheciam. Segundo o proprietário, garoto jovem e visionário que lutou bastante para colocar um link via satélite, o pessoal ainda está meio tí­mido por conta da dificuldade com a tecnologia. Dei a ele uma dica que, se seguir, vai ao mesmo tempo ajudar as pessoas e a ele próprio. Um curso de Internet gratuito (cobra-se apenas o tempo de acesso), além de capacitar as pessoas vai gerar futuros clientes e usuários.

Você tem alguma dica para esse meu amigo? Alguma experiência com inclusão digital a compartilhar? Conta!


Este artigo está participando da maratona Blogando24h.
Comente. Você pode ganhar uma camiseta!
Os participantes: Celso Junior, Doufer, Julio Camara, LJunior, Diego Alcantara, TV Retrô, O Saca Rolha

[tags]Blogando24h, Inclusão Digital, Balela, Computador para todos[/tags]

[BL]Computador barato=502734, Computador para todos=372220, Notebook barato=506633, Curso de Internet=200017[/BL]

Luiz disse:

Manoel, isso não é nada. Vá até o fraudesonline, do Carlos Cardoso e você vai ver o que é gente desinformada, e o que elas podem fazer 😉

Samuel disse:

Alguém aqui tá tendo suas primeiras experiências com os para-quedistas? hehehe

Eu já tive pensei nisso também e cheguei até a postar alguma coisa no meu blog.

“Certo dia eu estava vendo um telejornal, e em uma certa matéria eles abordaram a inclusão digital, nas imagens que ele estavam exibindo filmaram o monitor de um dos alunos da classe. Adivinhem o que estava na tela. Orkut e MSN, em uma tacada só. Isso é inclusão digital? Isso é inclusão imbecial (tá bom! eu sou ruim no neologismo). Não é atoa que esses caras que estão nesses projetos fingem que sabem mexer em um computador e geralmente eles não fazem a mí­nima idéia de como remover um programa, por exemplo. Mexer em um computador está muito além de Orkut e MSN.”

Manoel Netto disse:

Fala Enoch,

Manda o endereço do Balela.INFO para o pessoal da Fanta Uva 🙂

A cidade é Novo Acre, mais conhecido como Jiquy (nome original, indí­gena). É praticamente um vilarejo, distrito de Iramaia, distante umas 3 horas de Jequié, mas super aconchegante.

Abraço

Enoch disse:

Sei como é… Volta e meia alguém de minha famí­lia alerta aos outros sobre os perigos da Fanta Uva, que estaria causando tumores no reto!!!

Manoel, que cidadezinha do interior da Bahia é essa? Amargosa, Ibicuí­, Cruz das Almas, Jaquaquara?

Moro em Jequié, onde também tem uma das melhores festas…

PAULO RICARDO DE SANTANA disse:

Rapaz, onde tem o melhor São João da Bahia e numa cidadizinha chamada ARGOIM precisamente no arrastão do XAMEGO DO POVO, va conferir.