Gmail fora do ar. Você pira?

Hoje o GMail, serviço de e-mails do Google, gratuito e com enorme capacidade de armazenamento e além disso, personalizável com seu domí­nio, caiu. Não pra todo mundo, mas muita gente estava gritando no Twitter e lamentando a ausência do serviço que quebrou o paradigma de organização de e-mails como conversações. Ok, caiu, mas isso é […]

Hoje o GMail, serviço de e-mails do Google, gratuito e com enorme capacidade de armazenamento e além disso, personalizável com seu domí­nio, caiu. Não pra todo mundo, mas muita gente estava gritando no Twitter e lamentando a ausência do serviço que quebrou o paradigma de organização de e-mails como conversações.

Ok, caiu, mas isso é motivo pra tanto alarde? Você utiliza o GMail profissionalmente? Sim? Tá doido?

O Google, apesar de ser uma mega empresa, presente fisicamente em muitos paí­ses e virtualmente em quase todos (se não todos), ainda presta um serviço gratuito, web based e sem garantias. É, leu direito, o serviço que você usa profissionalmente é provido sem garantia alguma, está lá nos Termos de Uso que ninguém lê, como a quase totalidade dos serviços gratuitos oferecidos na Internet.

É claro que tem toda uma empatia, as eternas versões beta para justificar a construção on demand, a gratuidade e etc., mas me diz um motivo pelo qual você confiaria seus dados pessoais, profissionais ou corporativos a um serviço prestado sem garantias? Você por acaso aceitaria que uma empresa instalasse um alarme anti-roubo em sua casa “grátis, mas sem garantias“? Cursaria uma universidade nesses moldes? Uma babá pra cuidar de seu filho, que tal?

Dica? Se precisar colocar dados importantes (não aconselho), tenha sempre um backup local.

Marquito disse:

Ninguém falou sobre o Gmail pago? POis existe uma conta com 25 GB para compartilhar entre o Picasa e Emails, e é baratinha, só não sei se tem a garantia no contrato. Entre contratar um provedor nacional, ou internacional, de porte médio ou o Google que é uma das maiores empresas do mundo e tem uma responsabilidade a zelar pelos acionistas e perante os internautas, Eu escolho o Google.

Concluindo, a web 2.0 como chamam, na minha visão, vem dizer exatamente isto: não importa mais o que está no contrato do que o que realmente a empresa faz e como trata seus clientes. Temos casos e mais casos no Brasil de empresas cheias de contratos que não servem pra nada pois não cumprem. O contrato da CONFIANÇA acho que será o contrato do futuro… acho q falei demais.

por isso nao reclamem de seus provedores de hospedagem, até o google fica offline, rsrs

pedro disse:

A verdade é que o gmail desde que surgiu tornou-se uma referência pela quantidade de espaço disponivel. No meu caso, eu precisei de um convite para ter direito a uma conta de gmail.
A verdade é que com a capacidade que o gmail tem não preciso mais de andar de pendrive de um lado para o outro, basta uma ligação í  internet.
Mas como tudo o que é grátis, tem os seus defeitos, não é?

Chester disse:

Netto, tenho que concordar com o Bruno (II) – sua chance num processo desses é zero, já que esses contratos costumam ter “letras miúdas” dignas do Pica-Pau (http://www.youtube.com/watch?v=QvURQIBb4OE ). O não cumprimento do uptime costuma dar no máximo um desconto na fatura (como na TV a cabo) e o contrato geralmente isenta de responsabilidades o provedor.

A segurança contra perda você só tem se contratar (ou prover) backup adicional (e ainda assim o mundo sempre pode cair sobre as cabeçcas gaulesas). E segurança de dados mesmo só tem quem criptografa ou hospeda na própria empresa.

Mas cada ćaso é caso. Tem empresa que tem mais a temer se o pessoal da empresa nacional de hosting der uma espiadela do que se o Google o fizer. E tem empresa que tem o ego tão nas alturas que realmente acha que o Google move uma mí­nima palha para o que eles estão fazendo, e sujeita seus funcionários a coisas terrí­veis como Exchange, proibindo o GMail. Vai entender.

Ulisses Adirt disse:

O caso é que o serviço costuma ser tão bom q esquecemos q é de graça, que pode dar merda, etc..

Ohhh.. muito bom esse artigo, execelente!! parabens !!

Michael

Leon Santiago disse:

Cara, eu confio mais no google no que no meu HD. Quando o arquivo é muito importante eu até faço um backup NO gmail! ;D

Foi culpa do porquinho mergulhador ‘-‘

hauhua

Sem garantias, mas digamos que o resultado vale o risco.

Eu baixo todos os meus anexos que chegam por email, pelo risco da internet não pegar, ou de eu morrer e não tiverem minha senha do Gmail.

Voltando í  questão do risco.

O Gmail lê todos os meus emails e os mantêm de forma organizada e minha vida em ordem com toda uma rede de encaminhamentos e filtros e marcadores coloridos e bonitinhos (ignorar o apelo gay da ultima frase) que me permitem economizar tempo, que são práticos e mais rápidos que o próprio Outlook.

Recentemente surgiu uma duvida na empresa, se não era perigoso ter um gmail drive com os arquivos da empresa, pois não era garantido que o google fosse confiavel.

a conclusão da discussão?

Se o google acabar, é porque nem o trabalho, nem o mundo serão as mesmas coisas.

a polí­tica Kiss my ass motherfucker,
ou nós nos isentamos de qualquer responsabilidade sobre o que fazemos
(tradução livre)
precisa de uma grande diferença sobre as empresas concorrentes para dar certo e se destacar

—- Confiança —-

Confiamos no Gmail.

Por que?

Porque em 6 anos que usamos esta foi a primeira vez que ele ficou fora do ar por mais de 15 minutos ( que eu me lembre)

E a confiança do consumidor é facilmente abalada, tanto que garanto que alguns na hora do pânico no twitter começaram a abrir seus pré históricos hotmails e yahoos para ver se teriam de voltar í  bárbarie.

Mas o google está em uma posição em que pode se dar o luxo de um deslize desses.
Para onde iriamos?

Que outra ferramenta integra nossas redes sociais, email, IM, documentos, etc?

O alarde foi criado justamente pelo medo de perder a conveniência
De ter de voltar a usar aqueles emails carregados
Mais do que de perder os arquivos.
Medo da preguiça
hehe

http://tinyurl.com/gmailfa1l

Compulsivo disse:

Sem garantias, mas ainda confio mais no Google, que imagino não sujaria sua imagem prejudicando seus acionistas sem mais nem menos. Que em muitos serviços que dão “garantias”, te cobram, mas te deixam na mão, ex.: telefonica, Brasil Telecom, entre outras…

[]’s
Compulsivo

Manoel Netto disse:

@Bruno,

Num serviço pago você tem a quem processar, se perder dados. No Gmail você será informado que estava escrito nos termos de uso. “Sem Garantias”, means “Problema Seu”, sacou? 🙂

Eu também uso os serviços do Google, mas tenho plena consciência de quem é a responsa em manter backups de dados importantes.

Abraço

Só lembrando que não existe uptime 100% garantido em serviço nenhum, seja pago ou gratuito. Na maioria das vezes, pagar por um serviço privado serviria apenas para ter com quem reclamar, dificilmente seria indenizado de forma justa, ou ainda, diriam que o tempo está nos 0.01% que eles não garantem.

Não estou dizendo com isso que é a mesma coisa, mas comparar se comparar o GMail com muitos serviços disponí­veis por aí­, confio bem mais no GMail…

Renê Fraga disse:

Acredito que o problema com o serviço nem seja tão complexo para o usuário mas a possibilidade de não conseguir acessar o conteúdo arquivado é onde a falha realmente se torna perigosa. Mas como é o Google, sempre volta a funcionar sem problemas. hauhauha 🙂