Freelancer, defina seu melhor espaço de trabalho

Hoje cedo estava assistindo Pequenas Empresas, Grande Negócios e uma matéria me chamou atenção por ter muita relação com minha forma de trabalho. Foram exibidos casos em que a empresa foi montada dentro de casa (numa partição separada do ambiente familiar) ou num espaço alugado (escritório virtual). Levantaram as vantagens de cada modelo, mas ainda […]

Shared OfficeHoje cedo estava assistindo Pequenas Empresas, Grande Negócios e uma matéria me chamou atenção por ter muita relação com minha forma de trabalho. Foram exibidos casos em que a empresa foi montada dentro de casa (numa partição separada do ambiente familiar) ou num espaço alugado (escritório virtual). Levantaram as vantagens de cada modelo, mas ainda ficou faltando um modelo que vem sendo bastante adotado. Aqui eu falo de cada um.

Home Office

O já conhecido por freelancers escritório-casa é um ambiente que por um lado oferece muitas vantagens bem óbvias – elimina-se o transporte para o trabalho, a necessidade de um traje de trabalho (pode-se trabalhar de cueca), reduz-se custo com alimentação – mas, por outro lado, acarreta em algumas desvantagens. Trabalhando em casa, perde-se um pouco o conví­vio com colegas de trabalho (coisa que í s vezes pode ser bem benéfica ao trabalho), sofremos com a interferência de fatores comuns a uma casa (quando se tem crianças, principalmente) além de não estarmos sempre preparados para uma reunião de emergência (fazer a barba í s pressas é um perigo!). O Augusto escreveu no Efetividade.net um artigo bacana sobre Home Offices, vale conferir.

Escritório Virtual

Principalmente quando se tem uma empresa formalizada, um espaço que possamos alugar e pagar mensalmente cerca de 1/3 do que pagarí­amos para manter os mesmos serviços num local próprio, é uma mão na roda. Um espaço como esse oferece uma infra-estrutura de atendimento telefônico, endereço comercial para correspondências, sala de reunião, número de fax e recados e uma série de outros serviços, na maioria das vezes organizados em pacotes de acordo com a necessidade da empresa contratante.

Para um profissional liberal, um escritório virtual acaba sendo uma espécie de local de trabalho, mas que ele está pagando mensalmente. Se a demanda de trabalhos cobrir os custos e o ambiente em casa for insalubre demais para a concentração (quem mandou ter 3 filhos homens?), vale um investimento. Se você puder compartilhar com outros 2 amigos na mesma situação, vai sair muito mais em conta, claro.

Escritório Compartilhado (office sharing)

Uma novidade em muitos lugares do Brasil, esse conceito já está sendo bastante explorado lá fora. Trata-se de um local com infra-estrutura básica para o trabalho como mesa, tomadas, acesso í  Internet, aparelho de fax e telefone, que atendem bem a um grupo de pessoas que necessitam apenas de um local para trabalhar, sem muita exigência de formalidades.

Um escritório para freelancers não precisa necessariamente ser uma empresa ou em um endereço comercial de um grande centro. Pode ser mesmo uma casa, bem organizada, com os requisitos mí­nimos e aconchegante, onde as pessoas possam trabalhar, bater um papo, trocar idéias, tomar um café. A vantagem é que você se sente em casa e ao mesmo tempo vê pessoas e pode até mesmo criar um ambiente comunitário com aqueles “colegas”.

A maior vantagem do office sharing é que a grande maioria possui preços por hora, para aqueles profissionais que precisam apenas de um tempo para resolverem uma urgência ou querem sair um pouco da rotina. Alguém conhece algum desses em Londrina?


Este artigo está participando da maratona Blogando24h.
Comente. Você pode ganhar uma camiseta!

[tags]Blogando24h, Freelancer, Home-Office, Shared-Office[/tags]

Olá. Parabéns pelo texto.

Sou sócio de uma empresa de escritórios virtuais e tenho escrito artigos para divulgar esse modalidade de negócios, já que muitos ainda a desconhecem.

O Escritório Doméstico (Home Office) como uma tendência de trabalho foi previsto por Alvin Toffler em seu famoso livro “A Terceira Onda”, mas somente após os anos 90 (com o avanço na informática e telecomunicações) se tornou tecnicamente viável.

Por outro lado, os Escritórios Virtuais têm se tornado mais e mais populares (já existem dezenas no Brasil e não apenas no eixo SP-RJ). O mais interessante é que muitas atividades podem combinar o trabalho em casa com um escritório virtual.

Tenho um artigo intitulado “Virtual Office ou Home Office” sobre o tema, no site Administradores.com.br: http://www.administradores.com.br/artigos/virtual_office_ou_home_office/21520/.

Fabio Santos disse:

Por enquanto, os serviços extras só vem na forma de resenhas pagas (muito bom por sinal). Em breve precisarei, com certeza de uma estrutura maior. Excelente artigo 🙂

Possuo um Escritório Virtual e acho ótimo, pois só uso quando tenho nescessidade de ir com cliente, trabalho de casa na maior parte, e eles me encaminham a ligação telefonica, tem uma secretária, que atende a todos que compartilham aquele serviço

Renato Araújo disse:

Olá, uma dica bem legal seria expor portfólio online. Conheço bons sites o meu preferido é o freela.com.br.

Manoel Netto disse:

Pessoal, essa é a chance de quem sabe a blogosfera se organizar e montar seus escritórios distribuí­dos, hein? Vamos agitar!

Valeu pela participação de todos.

Manoel Netto disse:

Valeu Lú.

São os comentários de você que nos ajudam a continuar.

Beijo

Eu sofro com isto em casa, porque além dos trabalhos de blogueiro, tenho trabalhos “oficiais” por fazer em casa.

Acho que apenas quando eu tiver minha casa própria que esta situação de home office vai se resolver.

Lucia Freitas disse:

Lindo post, lindo…ê amiga baba ovo. Está indo bem, muito bem, o senhor Manoel. Parabéns querido. Sigo na escuta.
bjs e força

Mário Yanase disse:

Seria legal ter um escritório compartilhado. Imagine vários colegas probloggers em escritório desses? Rs… Bem interessante. É bom o convivio entre colegas de trabalho.