Tema: Internet

Facebook Social Search is in the house

Há alguns dias o Facebook anunciou sua “próxima grande coisa” (numa tradução livre e tosca do que eles mesmos disseram sobre isso): a Busca Social. Diferente do Web Search, que por mais que o Google esteja investindo em personalização em uma espécie de curadoria de resultados (o que eu acho bem ruim), não é a mesma coisa que você mesmo filtrar o tipo de resultados que deseja obter.

O Social Search do Facebook, usa suas conexões, interesses, fanpages e conexões de suas conexões, para exibir os resultados que você está buscando. Você pode usar uma variedade de combinações, sem uma ordem específica, para obter os resultados desejados.

Vamos aos exemplos de Social Search

Digamos que você queira saber, por exemplo, quantos e quais dos seus amigos de escola estão no Facebook e moram na mesma cidade que você. No meu caso, a busca seria: people who went to CEFET-BA and live in São Paulo, Brasil. O próprio Facebook vai sugerindo enquanto você digita. As primeiras pessoas listadas, abaixo:

Social Search 01 - Tecnocracia

Esse resultado foi enorme, com muita gente que eu não conheço, de períodos diferentes. Digamos que eu queira refinar um pouco essa busca, listando apenas amigos de amigos (lembre-se, “amigos” no caso são suas conexões de Facebook, ok? o sistema não adivinha quem é seu amigo). Minha busca foi: Friends of my friends and my friends who went to CEFET-BA and live in São Paulo, Brazil. A lógica era descobrir contemporâneos da escola que estão morando em Sampa. Mas o FB Social Search ainda não está tão afinadinho e me listou, dentro de vários outros resultados corretos, um ex-colega de sala que mora em outra cidade. Quén.

Social Search 02 - Tecnocracia

Vamos então resumir aos amigos e buscar outra entidade dentro do site do Sr Mark. Fotos :). Modo stalker ativado.

Social Search 03 - Tecnocracia

Tá vendo aquela caixinha ali do lado? Você pode usar para filtrar suas buscas, ao invés de se matar caprichar no seu inglês. Facilita bastante, não é?

Outros exemplos de busca que podem ser interessantes:

  • my female friends who are single (olhaí a prospecção pros solteiros)
  • my male friends who works at [sua empresa] and likes basketball (procurando parceiros pra jogar?)
  • female friends of my friends who lives in [sua cidade] and are single and like beer (opa!)
  • places my friends have been in [cidade onde você está viajando a trabalho] (onde é legal de ir?)
  • photos of my (female) friends taken in [nome de uma balada] (prospecção ou zoação só mudando uma palavra)

Em que isso é importante?

Em várias coisas. Como eu disse, o Google hoje já faz uma espécie de seleção dos resultados pra você, o que é uma merda, porque ele não sabe o que você está buscando, ele apenas tenta adivinhar. Além disso, uma busca web é muito diferente de uma busca social. Você sabe o que você quer ver, pode filtrar da forma que bem quiser no momento e a única pessoa que pode impedir que determinado conteúdo seja visto é o proprietário dele, o usuário, através dos filtros de privacidade.

A tendência é que existam duas internets (ou várias). A pública e a privada, dentro dos grandes sites fechados, como o Facebook. Acho que nem o Mark quando roubou a ideia dos professores imaginava que seu site um dia poderia ser uma espécie de Internet privada, do tamanho ou maior que pública. Como tudo tem seu lado ruim, hoje o Google controla as buscas, o Facebook controla o que é social. Decisões podem ser tomadas à sua revelia, afinal, não se esqueça que o site é privado e apesar de você colocar um monte de conteúdo nele, aquele pedacinho de terra virtual não é seu e pode ser retirado de você a qualquer tempo.

Você curtiu o Social Search? Tem preocupações de privacidade? Quer sugerir alguma busca interessante? 😉

Diário de Classe, um exercício de democracia

Isadora FaberIsadora Faber é uma menina de 13 anos, que mora em Florianópolis e estuda a sétima séria na Escola Básica Municipal Maria Tomázia Coelho. Cansada de suas reclamações sobre a situação precária da infraestrutura e das aulas não terem a devida atenção, resolveu criar – sozinha – uma página no Facebook para relatar seus dias na escola pública, sua visão estudantil do lugar em que passa a maior parte do seu dia e onde espera adquirir educação e conhecimento para a vida.

Isadora, uma estudante do ensino básico, exercendo seu pleno direito à opinião, fazendo o seu papel na democracia do país, sendo muito mais patriota que a grande maioria de nós, que só lembramos do termo patriotismo em época de Copa do Mundo, está sendo apoiada, muito apoiada, por pessoas que não a conhecem, mas a admiram. Além dos seus pais, claro, de quem provavelmente herdou o que sabe de cidadania. E só. Porque dentro da escola, não somente pelos “alvos” das críticas (professores e funcionários) mas também – pasmem – pelos seus colegas, aqueles a quem Isadora também defende, ela está sofrendo represálias e críticas, além de ameaças. Continue lendo “Diário de Classe, um exercício de democracia”

Banco do Brasil transforma Internet Banking em Orkut

Sou cliente do Banco do Brasil desde 1997, mais ou menos. Foi a minha primeira conta corrente, aberta e gerenciada por mim. Desde então já fui cliente Bradesco, Bamerindus, Itaú, Unibanco, Santander e nenhum deles conseguiu ser tão claro em seus Internet Bankings, quanto o BB tinha sido até hoje.

Já fazem uns dias que não acesso o BB, mas hoje precisei e fui surpreendido com um aviso de que o acesso iria mudar. Normal, bancos que se prezam fazem upgrades e nós sempre esperamos que seja para melhor, certo? Como todo curioso e early adopter eu cliquei para usar a nova interface. Ora, vai mudar de qualquer forma, então, quero usar antes pra me acostumar.

O que meus olhos viram na sequência, minha mente custou uns bons segundos de paralisia para acreditar. Continue lendo “Banco do Brasil transforma Internet Banking em Orkut”

Olimpiadas ao vivo pela Internet

Fomos notificados da existência de uma série de sites anunciando a transmissão ao vivo, via Internet, dos Jogos Olímpicos 2012 em Londres. Acontece que grande parte dessas transmissões não existem, são ilegais ou são simplesmente golpes (em sua maioria).

O Comitê Olímpico Internacional autorizou apenas 33 empresas a transmitirem os jogos para 200 países. Essas são as transmissões oficiais. Pode acontecer de, uma das grandes, oferecer pacotes de transmissão via Internet, mediante pagamento. Mas somente essas, as donas das concessões do COI, podem fazer tais transmissões.

O COI está tão ligado nessas coisas que vem removendo diariamente vídeos postados por usuários em redes sociais e sites de vídeos. É remoção sumária, sem satisfação. Até mesmo se alguém filmar a tela da TV de alguma transmissão oficial e postar na Internet, é ilegal e eles irão remover sem dó.

Por isso, muito cuidado ao buscar esse tipo de transmissão online. Alguns sites estão pedindo e-mails e outros até os dados de cartão de crédito do usuário incauto, que poderá estar caindo em um golpe sem sequer perceber.

Streaming das Olimpíadas de Londres? É balela! Não clique.

Dear Internet

“A Internet” mandou um recado para o Flickr:

#dearmarissamayer

O Flickr respondeu:

#DearInternet

Grande lição do Flickr pra nós todos:

Aprendam a lidar com a Internet, seus movimentos e como participar.