BlogCamp PR e o Encontro de Novas Mí­dias

Durante o primeiro fim de semana de dezembro aconteceu um belí­ssimo encontro em Curitiba. O blogs e os podcasts se uniram e realizaram um evento maduro, divertido, cheio de conteúdo e diversidade. Foi o BlogCamp PR com o Encontro de Novas Mí­dias – praticamente um pleonasmo. As discussões, baseadas no modelo de desconferência, foram bastante […]

Flickr : foto por MicroEstudioDurante o primeiro fim de semana de dezembro aconteceu um belí­ssimo encontro em Curitiba. O blogs e os podcasts se uniram e realizaram um evento maduro, divertido, cheio de conteúdo e diversidade. Foi o BlogCamp PR com o Encontro de Novas Mí­dias – praticamente um pleonasmo.

As discussões, baseadas no modelo de desconferência, foram bastante produtivas e conseguiram atingir o seu principal objetivo, que é o de abrir a discussão e não concluir nada. A repercussão do encontro ainda está acontecendo e perdurará certamente até o próximo – que deve acontecer em março no Espí­rito Santo – em blogs, sites, podcasts, twitter e nas rodas de conversa que sempre acontecem.

Dia 1 : Welcome BlogDrink

Flickr : foto por MicroEstudio

Na sexta-feira í  noite houve uma recepção num bar de Curitiba com o intuito claro de socializar e a desculpa básica de fazer um pré-credenciamento – distribuição de camisetas e crachás. O resultado foi muito bacana, pois quebramos o gelo inicial, conhecendo as pessoas com quem irí­amos discutir sobre vários assuntos durante todo o dia seguinte. Algumas pautas já foram levantadas durante o happy-hour. Eu e o Jobson, por exemplo, conversamos desde a Bolha AdSense até TV Digital, mas nem por isso foi um papo chato e deixamos de participar do que estava rolando no bar.

Logo de cara devo ter perdido uns 20% de meus assinantes. Fui questionado “mas o Tecnocracia é um blog sério, cara”. Poxa, mas o autor do blog é sério, mas tem que ser um cara chato e carrancudo? 😉

Dia 2.1 : Desconferências na Unicenp

A Unicenp é bem distante do centrão de Curitiba. Isso de certa forma ajudou bastante no andamento do evento, pois não havia como dispersar. Concentramos-nos em 3 salas, sendo uma delas o auditório principal, todas com transmissão em ví­deo pela Internet, possibilitando que outras pessoas acompanhassem as discussões e interagissem via Twitter (BINGO!), Gtalk, SMS (sim, rolou isso).

Dessa vez, seguindo uma observação feita pelo André Avorio numa reunião que tivemos em SP, iniciamos o BlogCamp explicando o que é o modelo BarCamp, como funciona e pedindo a todos que se apresentassem. Apesar de um pouco demorado por conta da quantidade de pessoas, foi ótimo saber das expectativas de todo mundo, os assuntos que estavam dispostos a levantar e isso ajudou no desenrolar das discussões durante o dia. Fica a dica para o BlogCamp ES.

Flickr : foto por Jonny KenAs conversas foram bem diversas nessa edição, acredito que pelo próprio amadurecimento das pessoas conforme os eventos vão ocorrendo e a vontade em falar de coisas novas. O destaque foi para o bate-papo com os podcasters que se uniram a nós para falarmos de novas mí­dias, associações e as questões jurí­dicas que envolvem esse ambiente que estamos ajudando a construir. Só para citar um exemplo, ficamos sabendo que o pessoal criou uma Associação Brasileira de Podcasts e com isso conseguiu representatividade, tendo como primeiro resultado uma tabela elaborada pelo ECAD, regulando e estabelecendo as cotas dos valores pagos pela execução de músicas em meios digitais (que antes era totalmente subjetivo). Agora a briga vai ser pelos parâmetros e valores adotados, mas já existe algo concreto pelo que questionar.

Dia 2.2 : Talentos foram revelados

Acredito que depois desse evento a idéia de se criar um stand up comedy show com pessoas da blogosfera vai vingar. Várias personalidades foram destaque nessa edição, valendo a menção da noite anterior com o show do Luis Fernando tocando um cover do I want to break free do Queen, cantando sua versão Comprei um quati. Bem Legaus!

Tivemos o Bingo da Blogosfera, o SuperTrunfo, as Garotas Axe da Playboy (Mirian, Dani e Marina), o Roque+Marlene Matos+Tim Maia (Mackeenzie), o Funkeiro Circense, mas certamente o grande destaque e motivo de incontinência urinária geral foi o Ziggy Santos, que deu um verdadeiro show de imitação no palco (olha o talento que o Pânico na TV está perdendo). Confiram o ví­deo no videolog.

Dia 2.3 : A noite é uma criança

É tradição do formato que todos os eventos terminem no bar (esse além de terminar, começou), onde as discussões normalmente se ampliam, devido ao tempo ou ao grau etí­lico presente no sangue. Não foi diferente. Fomos (quase) todos ao Bar do Alemão, no Largo da Ordem.

Após muitas horas de conversas altamente produtivas (ou não) e mais um dono de bar feliz com mesa e bolso cheios, a turma se dividiu entre os baladeiros e os mais quietos. Eu, junto com o segundo grupo, tive um encerramento de noite agradabilí­ssimo no Fran´s Café, que encerrou com a cantada mais tosca que já presenciamos na vida. Um grupo de rapazes cantando “comprei um quilo de farinha, pra fazer farofa” para a Carla do Brasil.

Dia 3 : BlogTour e Podcast

Flickr : foto por Jonny KenComo havia muita gente de outras cidades e estados,  organizamos um tour pela cidade, mas como o dia é curto, não deu pra cobrir muitos pontos. O grupo mais uma vez se dividiu após o almoço no Bar do Alemão (dejavu?). Claro que diversão não faltou, exercí­cio fí­sico (para a maioria sendentária e hiperativa), muitas fotos bacanas e o social. Você pode conferir tudo no Flickr (links no final do texto).

O grupo em que eu estava acabou desistindo do Coral dos Meninos e fomos todos gravar o PodCast Código Livre #63 no Studio A (casa do Macari). Presentes Eu, Bia Kunze, Ricardo Macari e Adriana Saito, Gustavo Jreige, Carla do Brasil, Jonny Ken e Amanda Wanderley e Alexandre Sena.

Já havia pensado há algum tempo em criar um podcast aqui para o Tecnocracia, algumas pessoas até sugeriram isso na pesquisa que fiz com os leitores do blog. Depois de gravar esse especial com essa turma muito bacana, fiquei bastante empolgado e devo dizer que em 2008 esse projeto vai andar. Ainda estou definindo algumas coisas, mas ontem aconteceu um lance interessante que me fez fechar essa questão. Aguardem.

Conclusões e outras visões do evento

Gostei bastante dessa edição. Estamos amadurecendo as discussões e o próprio modelo se fortalece a cada encontro. Indubitavelmente os blogs estão mostrando í  que vieram e até onde podem chegar, isso é fantástico, principalmente como ferramenta de comunicação negócio. A união com os podcasters abriu um novo rumo em nossas conversas e pode vir a se tornar um padrão esse casamento – é até um caminho meio lógico, todos fazemos parte do que chamamos de novas mí­dias.

[tags]Blogosfera, BlogCamp, BlogCampPR, Eventos, Encontros[/tags]

Manoel Netto disse:

Lu Monte
Inveja é uma merda hehehe 😛

Cleverson
O bacana é ler o relato de todo mundo. Escreve o seu também!

Gi (olha a intimidade)
Também adorei. A parte humana é sempre a melhor de todas.

Fugita
Tá fugindo? (hein? pegou?)

Ostrock
Lê a resposta pra Lu (hahaha)

Amanda/Aline
Seja bem vinda a este humilde espaço. Adorei conhecer vocês. Ah! Adorei a citação no Decodificando (virei ouvinte).

Dulcetti
Tu foi uma das atrações hilárias do evento. Mó palhaço, redator do Away hehehe. Ano que vem tem mais!

Jonny
Procurei pra caramba essa foto. Ela retrata bem a delí­cia que é esse drink maravilhoso. 😉 Abração meu velho.

Ziggy
Cara, tu PRECISA fazer palestras. Show man taí­. Nem quis assistir ao ví­deo, para não correr o risco de molhar meu escritório.

Carol!
Legal te conhecer, guria. Pode ficar com a cantada todinha (e com os cantadores hehehe).

Aguinelo
Cara, perdeu mesmo. Que pena! Você perdeu (hahahaha).
Vê se não vacila da próxima vez.

Bibi
Tenha certeza, o Marmota fez uma belí­ssima imitação. 😉
Espero ver você e o André nas próximas.

Pessoal, obrigado pela presença e pelas pessoas bacanas que vocês são. Show de bola conhecer alguns e reencontrar outros.

Abração

Bibi disse:

Perdi a parte mais bizarra do evento: a cantada mais tosca dos últimos tempos. Tive que me “contentar” com a ótima encenação do Marmota para esse evento.

Eu me diverti um bocado e adorei o pessoal. Estou esperando pelos próximos eventos.

Beijinhos

Perdi as partes mais animadas, mas tudo bem, não pude comparecer no domingo…

Mas ano que vem pretendo fazer um tour por todos os blogCamps, espero rever a galera..

Abraço.

Não adianta vocês acharem legal, porque a cantada foi PRA MIM, tá? Só pra mim, pra mais ninguém.

farofa-fa!

Rafael Ziggy disse:

Mais um super post baconoso sobre o barcamp. Bom ter sido indicado como o “motivo de incontinência urinária geral”. hauheuaeheau. A gente faz o que pode né? Prazer em rever você lá no Blogcamp. Outros virão! Abraço!

Jonny disse:

UIA!!! Até a Amanda por aqui!!!

O Manoel Netto é mó legal!!!

E ainda por cima linka as fotos!!! 🙂

Foi um prazer quase orgasmático conhecer o sr!, mas faltou colocar sua foto tomando o hortelã hidropônico!!! rs rs rs

Abraços!

Morreu um quatiiiii… Morreu dois quatiiiis… Morreu trêrquati, quatoquati, cincoquati, seisquati, setiquati…

auhuauahauhua

auhauuahuhauhua… funkeiro circense foi otemo… e eu quase naum fui nesse… ia me arrepender demais disso… =D

Belo post netto… O meu foi mais porra louca mesmo.

Queria ter ficado no domingo, com a galera, mas fazer o que neh, naum deu… =/

Akele abraaaaaço

Amanda disse:

Olá! Estou visitando seu blog pela primeira vez! Bem legal! 🙂
Beijo

Ostrock disse:

Não sei por que tanto falam desse blog camp PR, não vi nada demais, nada mesmo, infelizmente….

Deveria ter ido de SP atá lá a pé….. mas outros virão

É, muito bom! O BlogCamp PR fez história. Só que estou com preguiça de escrever sobre o assunto já que tantos textos bons como este aqui já surgiram, hehe!

Abraços!

Gisele disse:

A cantada foi o auge da noite de sábado!!!

O Marmota dançando então… adorei a companhia de vocês e os papos animadí­ssimos!!
Bj

É, resumo muito bom… não da nem vontade de escrever um depois desse. Vale a pena ler o blog do Helton (Boombust) já que ele conseguiu lembrar o nome e o blog de todo mundo que passou por ele. Impressionante.

Lu Monte disse:

Eu nem queria, mesmo.